Prefeitura cadastrou mais de mil nascentes na cidade de Belo Horizonte

A maioria delas está localizada em Venda Nova e na Pampulha

por Encontro Digital 13/10/2017 10:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Flickr/PBH/Vander Bras/Reprodução
Muitas das nascentes existentes em Belo Horizonte se encontram dentro dos diversos parques municipais espalhados pelos bairros da capital (foto: Flickr/PBH/Vander Bras/Reprodução)
São mais de mil nascentes cadastradas em Belo Horizonte. Este é o registro atualizado de um trabalho que vem sendo realizado pela Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), por meio da secretaria municipal de Meio Ambiente. O número de nascentes que apresentam água sem esgoto está próximo dos 90%. "Isto não significa água potável, mas sim, sem esgoto visível", explica Rodrigo Ádamo, geógrafo da secretaria.

Segundo a PBH, uma das finalidades desse levantamento das nascentes é a necessidade de proteção delas. Depois de localizar, caracterizar e georreferenciar as nascentes dos córregos existentes no município de Belo Horizonte, a prefeitura pretende alimentar um sistema de informações para integrar ações conservacionistas, explica o geógrafo.

Segundo a gerência de recursos hídricos da secretaria de Meio Ambiente, as características e o uso dessas nascentes são diversos – mais de 90% das cadastradas estão em boa qualidade. "Queremos realizar um diagnóstico do estado de conservação de um maior número possível de nascentes, e fornecer subsídios necessários para a eventual elaboração de projetos de conservação e/ou recuperação, que poderão ser desenvolvidos pela própria prefeitura ou em parceria desta com a população e com entidades envolvidas com a questão", comenta Rodrigo Ádamo.

A maioria das nascentes está localizada nas regionais Pampulha e Venda Nova. "A partir dessa ação conjunta entre comunidade e poder público, acredita-se que seja possível recuperar a qualidade de vida na cidade por meio da transformação da paisagem e ter água limpa e em abundância mesmo em áreas onde hoje ela se encontra poluída”, afirma Mário Werneck, secretário de Meio Ambiente.

Revitalização

A recuperação das nascentes vem sendo realizada por uma parceria entre o Comitê de Bacias Hidrográficas e a PBH, por meio do Programa de Desenvolvimento e Recuperação Ambiental da Bacia Hidrográfica da Pampulha. Uma das nascentes foi revitalizada no início deste ano dentro da escola municipal Santos Dumont, no bairro Santa Efigênia. "Dezoito nascentes já passaram por esse processo. Quando a nascente se localiza dentro ou próximo do terreno de escolas, estas poderão ser incluídas nos programas de preservação", diz Rodrigo Ádamo.

O geógrafo explica que essas ações são amplas e consistem em reconhecer e observar as nascentes e o leito do curso d'água que estas alimentam. O trabalho de cadastramento das nascentes vai prosseguir. "Acreditamos haver muito mais nascentes do que já conseguimos cadastrar. Esse trabalho é fantástico porque vamos conseguir identificar e mapear as nossas fontes de água natural", afirma o secretário Mário Werneck.

(com portal da PBH)

Últimas notícias

Comentários