Publicidade

Estado de Minas PETS

Novembro Azul: quem disse que apenas os humanos são vítimas do câncer de próstata?

Os cachorros, especialmente de raças das pequeno porte, também sofrem com tumores e problemas na próstata


postado em 07/11/2017 08:39 / atualizado em 07/11/2017 08:47

A campanha Novembro Azul foi criada para conscientizar a população, especialmente os homens, sobre os perigos do câncer de próstata e, claro, sobre a importância da prevenção da doença. O que nem todos sabem é que esse tipo de tumor não é exclusividade dos seres humanos. Doenças na próstata podem se manifestar em todos os machos da classe dos mamíferos, e os cães de pequeno porte são os mais suscetíveis. No entanto, não existem raças mais propensas a desenvolverem esse quadro e o aparecimento do câncer, geralmente, acontece quando os pets estão mais velhos, com idade entre 9 e 10 anos.

Segundo médica veterinária Renata Setti, parceira da Comissão de Animais de Companhia, os sintomas que acusam alguma alteração na glândula prostática são bem específicos. Um deles é a dificuldade para defecar e urinar, pois devido à proximidade da próstata ao ânus, seu aumento interfere no canal do reto e dificulta a saída das fezes. Movimentos de locomoção limitados, como subir em móveis ou degraus, também podem indicar uma possível alteração no tecido da próstata, esclarece a especialista. Emagrecimento por diminuição de apetite também é um sinal que merece atenção.

A veterinária lembra que é fundamental consultar um profissional da área para que sejam feitos exames de prevenção. A palpação retal do cachorro é um deles. "O exame é indolor e dispensa a necessidade de anestesia. Ele permite que o veterinário detecte algum aumento significativo da glândula. O ultrassom de abdômen e a radiografia da região lombar [onde está localizado o órgão] podem dar indícios do tamanho da próstata e se está afetando a bexiga ou coluna. Todos esses diagnósticos avaliam a possibilidade de metástases, multiplicação das células cancerígenas que se espalham para outros tecidos do organismo, como o pulmão", explica Renata Setti. Exames mais invasivos como a citologia ou a biópsia da próstata também podem ser realizados e necessitam de anestesia para serem realizados.

Prevenção

Exames de rotina sempre são recomendados para prevenir a doença. Tumores benignos possuem sintomas parecidos ao tumor da próstata e cães não castrados são mais propensos a desenvolvê-los. Por isso, a castração é importante inclusive para prevenir infecções e tumores benignos. "Estima-se que 75% dos cães adultos não castrados vão desenvolver tumores benignos chamados de hiperplasia prostática benigna que têm sintomas semelhantes ao câncer de próstata", alerta a veterinária.

Tratamento

Assim como ocorre nos homens, o tratamento contra o tumor na próstata é baseado em quimioterapia e cuidados que atenuam as dores e o desconforto. Para isso, o uso de medicação e cuidados com a alimentação é de grande relevância. A especialista afirma que, devido à dificuldade em defecar, às vezes o uso de laxantes é recomendável. Ela lembra, porém, que os efeitos colaterais da quimioterapia nos cães não são intensos como nos humanos, os animais tendem a aceitar melhor a mediação.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade