Chuvas podem causar queda de energia e muitos problemas para os aparelhos elétricos e eletrônicos

É preciso tomar cuidado para não queimar seus equipamentos durante o período chuvoso no Brasil

por Da redação com assessorias 04/12/2017 09:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pexels
(foto: Pexels)
Com a chegada do período chuvoso, além dos alagamentos e do risco de desmoronamento de barrancos, as chuvas também podem afetar os equipamentos elétricos e eletrônicos. Entre os transtornos mais comuns causados pelas chuvas – que devem durar até março de 2018 –, estão as quedas e falhas no fornecimento de energia elétrica. Tais incidentes, causados pelas grandes tempestades, geram impactos significativos na vida das pessoas e podem ser sentidos principalmente nas grandes cidades.

A ocorrência de descargas elétricas durante o período chuvoso é alta. O Brasil é líder mundial na incidência de raios, com 50 milhões de descargas por ano, segundo dados divulgados pelo Grupo de Eletricidade Atmosférica (Elat), vinculado ao Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe). O levantamento realizado pelo instituto aponta ainda que nos últimos seis anos, o número médio anual de raios no Brasil foi de 77,8 milhões. Esse valor é bem superior ao obtido no levantamento feito em 2002, que apontava cerca de 55 milhões de raios. No Verão, o Elat – com base nas temperaturas dos oceanos Atlântico e Pacífico – prevê uma incidência de raios dentro da média histórica nas regiões norte e centro-oeste do país e até 10% acima da média nas regiões sul e sudeste. Além do fenômeno natural, que aumenta significativamente no Verão, quedas de energia são bastante comuns, provocando prejuízos incalculáveis.

Esses problemas podem ser minimizados com algumas ações simples e com equipamentos de proteção. Desligar da tomada os aparelhos que são mais sensíveis, como computadores, televisores e telefones, é uma dica importante em dias de chuva forte. Outra sugestão é o uso de nobreak, um equipamento que protege os dispositivos conectados nele contra variações bruscas na rede elétrica e em situações nas quais o fornecimento normal da energia é interrompido, reduzindo os riscos causados por desligamentos inesperados. Para isso, o nobreak conta com baterias que suprem a demanda de energia por um período seguro, permitindo o devido desligamento do aparelho elétrico ou eletrônico.

Em situações de quedas de energia, ele protege e estabiliza as oscilações de tensão da rede elétrica, evitando, inclusive, curtos-circuitos. "O aparelho tem ainda a capacidade de 'limpar' a energia fornecida pelas concessionárias, para que a eletricidade que alimenta os equipamentos seja de qualidade, evitando perdas de dados e danos causados a eles", comenta Jamil Mouallem, diretor comercial da TS Shara. Isso porque a energia que recebemos em casa costuma sofrer pequenas, mas significativas, mudanças na tensão da rede, especialmente após uma queda ou falha de energia.

No entanto, o produto também pode ser usado em outros equipamentos ligados à rede elétrica, como eletrodomésticos em geral. "O consumidor precisa estar ciente de que ele está adquirindo uma espécie de 'seguro' para o seu equipamento", diz Mouallem. Ele é recomendado para utilização em cargas críticas – como servidores, equipamentos bancários e hospitalares –, mas também em residências, escritórios e comércio, protegendo telefones e equipamentos de áudio e vídeo (home theaters), por exemplo. "É importante levar em consideração o quão sensível é o equipamento digital alimentado pelo nobreak e, mais ainda, qual é o custo do mesmo parado ou danificado para a operação. Neste caso, é importante avaliar não somente o bem, mas o custo total de operação a que se está protegendo, reduzindo o risco de perdas", afirma o especialista.

Últimas notícias

Comentários