Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Cuidado: estresse de final de ano pode aumentar as dores no corpo

Situações estressantes deixam os músculos contraídos e liberam hormônios ruins


postado em 20/12/2017 11:01 / atualizado em 20/12/2017 11:04

O Natal já está aí e o Réveillon vem logo em seguida. Para muitas pessoas, as festas de final de ano são sinônimo de diversão, alegria e confraternização. Porém, aqueles que se dedicam às compras e ao preparo das ceias podem acabar tendo estresse e, como consequência, passam a sofrer com dores nas costas e em outras partes do corpo.

Segundo a fisioterapeuta Ana Carolina Dutra, da clínica Vitalitè, do Paraná, em situações estressantes, o corpo precisa se preparar para "lutar", ter energia e disposição para enfrentar o que vem pela frente, o que gera as dores. "Ele faz isso por meio de um mecanismo em que são liberados diversos hormônios para melhorar a capacidade do organismo de superar os desafios momentâneos. Uma destas alterações é a contração dos músculos. Mas, quando a pessoa está em uma situação crônica de estresse, o organismo não consegue se recuperar e voltar ao seu estado normal", esclarece a especialista.

Isso quer dizer que a pessoa muito estressada, como as que priorizam as festas do final de ano, acabam deixando os músculos contraídos mesmo após os eventos estressantes. "Isso pode levar às dores nas costas, no corpo e na cabeça como uma reação a este estresse", diz Ana Carolina.  Além disso, alguns hormônios liberados em quantidades acima do normal durante o estresse pioram a percepção da dor, deixando a pessoa mais sensível aos estímulos negativos.

Descoberta a causa da dor, é importante procurar terapias que contribuam para diminuir os níveis de estresse. Uma das técnicas mais usadas é a massagem. Segundo estudo feito no Instituto de Pesquisas do Toque, da Universidade de Miami, nos Estados Unidos, a massoterapia consegue reduzir em 31% os níveis de cortisol, principal hormônio ligado ao estresse, em poucas semanas de aplicação. A massagem também aumenta os hormônios responsáveis pelo bem-estar e prazer, como a serotonina e a dopamina.

Controle da respiração

Além da massagem, que pode atuar nos momentos mais críticos do estresse, é importante a pessoa procurar controlar a respiração. Uma das técnicas que ajudam neste aspecto é o pilates.

"Durante a prática, a pessoa precisa realizar a respiração diafragmática. O diafragma é um grande músculo localizado abaixo dos pulmões. Quando inspiramos profundamente por meio dele, o sistema nervoso parassimpático é estimulado, levando ao relaxamento do corpo todo. Essa respiração lenta e profunda ajuda a diminuir os níveis de cortisol, ajudando no equilíbrio físico e mental", explica Ana Carolina Dutra.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade