Seu pet fica enjoado ao andar de carro? Saiba o que fazer

Especialista fala sobre o enjoo causado por movimento, que afeta muitos animais de estimação

por Correio Braziliense 28/12/2017 17:38

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Pixabay
Como alerta o especialista, os cães não podem ficar soltos dentro do carro, nem viajar com o focinho para fora da janela (foto: Pixabay)
Com a viagem de férias surge também uma dúvida: como fazer para que o bichinho de estimação não sofra ao ficar tanto tempo dentro do carro? Assim como muitas pessoas, os pets também podem sofrer com o enjoo gerado pelo movimento, que é chamado cientificamente de vômito de cinetose. Por isso, o tutor deve se precaver e procurar conversar com o veterinário responsável antes de pegar a estrada com o animalzinho.

De acordo com o veterinário Ítalo Cássio, os filhotes são mais suscetíveis ao problema por não estarem acostumados com a movimentação dentro dos veículos. Além disso, seus dispositivos de controle de náuseas ainda não estão perfeitamente maduros, o que aumenta bastante a incidência de enjoo e vômito. "Nestes casos, é imprescindível utilizar apenas medicações prescritas por um veterinário", alerta o especialista.

Pets idosos também podem ser vítimas do problema, especialmente se já tiveram crises de enjoo no passado. Caso isso tenha ocorrido, eles podem associar o passeio a mais um momento de estresse e ansiedade, o que também pode desencadear vômito e náusea. "Para reverter a situação, é preciso dedicação por parte da família. Ela deve acostumar o bichinho em passeios mais curtos no carro, com paradas para o animal caminhar e fazer as necessidades", recomenda o veterinário.

Ítalo Cássio explica que não se deve alimentar o pet antes da viagem. Esta medida evita que o animal fique com o estômago cheio e vomite dentro do carro. "Se, mesmo assim, esse tipo de problema acontecer, é possível recorrer à medicação. Na dúvida, o dono deve pedir ao veterinário que prescreva algo para atenuar esse tipo de sintoma. Vale lembrar que toda e qualquer medicação ministrada aos pets deve ter a orientação de um especialista", recomenda.

O veterinário dá outras dicas importantes para garantir uma viagem traquila com o bichinho de estimação:

Devem ficar presos
Evite deixar pets soltos dentro do carro: além de tirar a atenção do motorista, eles podem se machucar em freadas bruscas e, caso as janelas estejam abertas, pular para fora com o veículo ainda em movimento. Por isso, cintos de segurança e equipamentos como cadeiras especiais e caixas de transporte são indispensáveis.

Viajar na janela?
Focinhos devem ficar longe da janela. Embora os cães adorem, esse hábito pode trazer graves consequências à saúde deles. "Ao tomar fortes correntes de ar, o pet pode propiciar inflamação no conduto auditivo, olho seco, ceratite e até mesmo úlceras de córnea, entre outros problemas. É possível baixar um pouco mais os vidros ou ligar o ar condicionado para que o bichinho não sofra tanto com o calor, mas expô-lo à ação do vento em alta velocidade, definitivamente, não é recomendável", adverte Ítalo Cássio.

(com Blog Mais Bichos)

Últimas notícias

Comentários