Vida de casal não é fácil: é preciso saber ceder

Especialista fala sobre a difícil 'habilidade' de manter um relacionamento duradouro

por Da redação com assessorias 07/12/2017 15:51

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pexels
(foto: Pexels)
Qual o segredo para um relacionamento duradouro? Com certeza você já deve ter ouvido os casais longevos dizerem que o "segredo" é saber respeitar e entender o comportamento um do outro. É claro que você não precisa gostar de cada comportamento ou costume de seu parcerio, mas, nem por isso precisa agir de maneira impulsiva ou autoritária a ponto de termiar o relacionamento.

A psicóloga Carla Ribeiro confirma que a convivência com o outro é algo difícil de se estabelecer. "Primeiro, se soubéssemos que o outro nos daria tanto trabalho na adaptação do relacionamento, talvez muitas pessoas dariam preferência por estarem sozinhas. No consultório, tenho ouvido o quanto as pessoas têm se sentido muito sozinhas. Principalmente as mulheres. E as relações amorosas estão cada vez mais supérfluas e descartáveis. Mas, de uma forma em geral, a maioria quer ter uma parceria ao seu lado", explica a especialista.

É sabido que, cada vez mais, as mulheres buscam o desenvolvimento profissional e a independência financeira. Mas, como alerta a psicóloga, isso não pode se sobrepor ao lado sentimental. "Para muitas mulheres na faixa etária dos 30 anos, a maternidade começa a alertar que é hora de ter um bebê. É o momento que as mulheres começam a repensar que é hora de ter mais paciência, ter alguém ao seu lado. Aprender a respeitar ideias diferentes, ceder numa relação, se colocar no lugar do outro são alguns critérios fundamentais que fará a pessoa escolher melhor o parcerio", comenta Carla Ribeiro.

Já para o homem, a faixa dos 30 para os 40 anos, segundo a especialista, é o momento em que desperta a vontade de buscar uma parceria fixa, em quem pode confiar e que fará parte dos planos da velhice. "E ele sabe que deverá reformular muitos hábitos para uma melhor convivência a dois", completa a psicóloga.

Claro que o convíveio a dois é difícil, mas não impossível. Isso se cada pessoa souber ceder em relação ao comportamento. "A questão não é aceitar tudo e qualquer coisa do outro, mas, quando faltar um pouco de equilíbrio na rotina do casal, alguém precisa ceder e dar uma nova oportunidade ao relacionamento. E isso significa, muitas vezes, ficar em silêncio e deixar os ânimos acalmarem. Ser paciente é o comportamento que deve ser aprendido na relação a dois", observa Carla.

Últimas notícias

Comentários