Segundo a Aviation Safety Network, 2017 foi o ano mais tranquilo para a aviação mundial

No ano passado não foi registrado nenhum acidente fatal nas grandes companhias comerciais

por Encontro Digital 02/01/2018 15:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Segundo a Aviation Safety Network, empresa holandesa especializada em registro de acidentes aéreos, o ano 2017 pode ser considerado o mais seguro da história da aviação, já que não foi registrada nenhuma vítima fatal em voos comerciais de grandes empresas aéreas. Os dados foram divulgados nesta terça, dia 2 de janeiro, em Bruxelas, na Bélgica.

O levantamento da Aviation Safety Network mostra que em 2017 foram registrados 10 acidentes, levando em conta aeronaves de mais de 14 assentos e voos de transporte de carga, contabilizando 44 vítimas fatais no ar e 35 em terra. Esse número é ínfimo se levarmos em conta que no ano passado foram efetuados 36,8 milhões de voos em todo o mundo.

Desses acidentes aéreos, dois tiveram problemas na decolagem; três ocorreram durante o voo; outros três no processo de aterrissagem; e dois durante o próprio pouso. Os eventos aconteceram nos seguintes países: Quirguistão, Indonésia, Estados Unidos, Nepal, Costa do Marfim, Rússia, Tanzânia, Canadá e Costa Rica.

Em 2016, a Aviation Safety Network contabilizou 16 acidentes graves, com 303 mortos. Com isso, 2017 passa a ser "o ano mais seguro tanto em número de acidentes como o termo de baixas mortais", conforme comunicado da empresa.

Curiosamente, a "mortalidade aérea" em voos comerciais gira em torno de uma morte a cada 7,3 milhões de decolagens, sem levar em conta os voos militares.

"Desde 1997, o número de acidentes envolvendo empresas aéreas apresentou um declínio regular, em grande parte graças aos contínuos esforços em segurança das instituições ligadas à aviação internacional como Icao, Iata e Flight Safety Foundation e pela indústria de aeronaves", comenta Harro Ranter, presidente da Aviation Safety Network, também em comunicado enviado à imprensa.

Chapecoense

De acordo com a instituição holandesa, o último acidente grave envolvendo uma companhia aérea comercial ocorreu há 399 dias: dia 28 de novembro de 2016, quando 71 pessoas morreram na queda da aeronave da LaMia, empresa boliviana que transportava a equipe de futebol da Chapecoense e que saiu de Santa Cruz de la Sierra (Bolívia) com destino a Medellín (Colômbia).

Já em relação à última tragédia com aeronaves maiores, acima de 100 vítimas fatais, os dados da Aviation Safety Network mostram que ela aconteceu há 793 dias: em 31 de outubro de 2015, quando o voo da linha aérea russa Kogalymavia explodiu no ar com 224 pessoas a bordo – ia da cidade egípcia de Sharm El-Sheikh para São Petersburgo, na Rússia. A causa da explosão teria sido uma bomba ou um míssil que atingiu a aeronave.

(com Agência Brasil e Agência EFE)

Últimas notícias

Comentários