Agronegócio se destaca nas exportações de Minas Gerais, fechando 2017 em alta

Segundo o governo do estado, foram exportados mais de R$ 25 bilhões, com destaque, claro, para a cafeicultura

por Encontro Digital 16/01/2018 08:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Seapa/Agência Minas/Divulgação
O complexo da soja ficou em 3º lugar no ranking das exportações do agronegócio de Minas Gerais, com US$ 1,1 bilhão (13,9% do total) negociados no exterior (foto: Seapa/Agência Minas/Divulgação)
O ano de 2017 fechou com alta na pauta de exportação do agronegócio de Minas Gerais. Foram comercializados US$ 7,9 bilhões (cerca de R$ 25,5 bilhões) para o exterior no ano passado, o que significa um crescimento de 8,1% em relação ao ano anterior. O segmento contribuiu com 31,4% do total de exportações do estado. Os dados foram divulgados pelo governo de Minas, por meio da secretaria de estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), com base nas informações do Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior (MDIC).

Além do valor, também houve crescimento no volume exportado de 4,4%, alcançando 8,9 milhões de toneladas. Segundo João Albanez, superintendente de Abastecimento e Economia Agrícola da Seapa, o comportamento que se evidenciou, no acumulado do ano, foi de aquecimento dos preços pagos nas principais commodities.

O café, principal produto da pauta de exportações do agronegócio mineiro, representou 43,4% do valor total exportado no período. Foram vendidas ao exterior 20,5 milhões de sacas, que corresponderam a 84% da safra mineira.

O valor alcançado com a comercialização foi de US$ 3,4 bilhões, indicando declínio de 2% em comparação com o ano anterior. De acordo com Niwton Moraes, assessor especial da Cafeicultura da Seapa, houve uma pequena flutuação positiva nos preços médios que compensou, parcialmente, a redução no volume exportado (-6,3%).

"Essa pequena variação está dentro do previsível, não tendo nenhum significado impactante nas exportações, situação que foi semelhante no cenário nacional", explica o assessor.

O segundo colocado na pauta de exportações do agronegócio mineiro foram os produtos do complexo sucroalcooleiro: 16,5% do valor total, alcançando US$ 1,3 bilhão, com crescimento de 11,2% no valor comercializado. Este resultado é recorde e se deve à valorização do açúcar no mercado internacional.

O complexo soja (grãos, farelo e óleo) foi o terceiro produto da pauta de exportações do agro mineiro, no período, respondendo por 13,9% do total, alcançando US$ 1,1 bilhão e volume de 2,8 milhões de toneladas. Este resultado também é recorde. A soja em grão foi exportada para 26 destinos, liderados pela China, que importou, sozinha, aproximadamente 90% da soja mineira.

Em relação às carnes, quarto colocado, o faturamento registrado foi US$ 964 milhões, representando 12,1% do valor exportado da pauta do agronegócio mineiro e crescimento de 25% em relação ao período anterior. A carne bovina foi a responsável pelo crescimento do segmento. O valor alcançado foi de US$ 598 milhões, que representou crescimento de 68,7% em relação ao ano anterior.

Em todo o ano passado, Minas Gerais exportou produtos do agronegócio para 178 parceiros comerciais. Os principais países importadores, no período de janeiro a setembro, foram China (17%), Estados Unidos (10,7%), Alemanha (9%), Itália (6,1%) e Japão (5%). Os cinco países representaram juntos 48% do total exportado.

Exportações do agronegócio mineiro em 2017:

  • Café: US$ 3,4 bilhões (43,4%)

  • Complexo sucroalcooleiro: US$ 1,3 bilhão (16,5%)

  • Complexo soja: US$ 1,1 bilhão (13,9%)

  • Carnes: US$ 964 milhões (12,1%)

  • Produtos florestais: US$ 644 milhões (8,1%)

(com Agência Minas)

Últimas notícias

Comentários