Boato nas redes sociais sobre o palbociclibe é falso

Anvisa não está analisando qualquer registro desse remédio contra câncer de mama

por Encontro Digital 08/01/2018 10:58

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pfizer/Reprodução
A Anvisa alerta que o boato sobre o registro no Brasil do medicamento palbociclibe, usado contra o câncer de mama, é falso (foto: Pfizer/Reprodução)
O ano de 2018 nem bem começou e está criculando nas redes sociais uma suposta informação de que uma paiente que estaria sofrendo com câncer de mama precisava do apoio dos brasileiros para que a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) aprovasse no Brasil o registro da substância palbociclibe, destinada ao tratamento dessa grave doença. Porém, na sexta, dia 5 de janeiro, a Anvisa publicou um comunicado em seu site oficial dizendo que, até o momento, "não há qualquer pedido de registro de medicamento no país com o nome de palbociclibe. No entanto, há um ensaio clínico aprovado pela agência contendo este medicamento".

Para quem não sabe, a empresa farmacêutica Pfizer, a mesma do Viagra, produz o remédio Ibrance, nome comercial do palbociclibe, disponibilizado em cápsulas de 75 mg, 100 mg e 125 mg, e que é indicado no tratamento do câncer de mama em fase de metástase – quando começa a se espalhar pelo corpo. Apesar de ser aprovado nos Estados Unidos, pela FDA (Foods and Drugs Administration), esse medicamento ainda não possui registro no Brasil.

Além dos EUA, o Comitê de Medicamentos para Uso Humano, da Agência Europeira de Medicamentos, já emitiu um parecer em que diz que os benefícios do Ibrance são superiores aos seus riscos e recomendou a sua aprovação para utilização nos países que compõem a União Europeia.

Por aqui, a Anvisa lembra que, para que um novo remédio seja registrado, ele precisa comprovar sua segurança e eficácia por meio realização dos ensaios clínicos. "A Anvisa prioriza a análise de registro de medicamentos inovadores destinados à doenças graves, como o câncer, visando garantir o acesso da população a esses novos produtos. O preço do medicamento não tem qualquer influência no processo de registro. A análise para o registro leva em conta apenas as informações prestadas pela empresa sobre a qualidade, segurança e eficácia do medicamento", informa a agência em sua página.

Não é verdade, portanto, as informações que circulam nas redes sociais, dizendo que o palbociclibe estaria com o processo de registro em atraso, devido ao suposto preço apresentado para seu "lançamento" no mercado, o que teria sido "rejeitado" pela Anvisa.

(com portal da Anvisa)

Últimas notícias

Comentários