Comércio tem melhor novembro desde 2013

Segundo o IBGE, vendas em novembro de 2017 cresceram 5,9%

por Encontro Digital 09/01/2018 13:50

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação
(foto: Marcelo Camargo/Agência Brasil/Divulgação)
Graças às promoções de fim de ano, incluindo a já tradicional Black Friday, no Brasil, as vendas do comércio varejista do país cresceram 0,7% em novembro de 2017, em comparação com outubro, na série com ajuste sazonal – compensando a queda de 0,7% registrado em outubro. Na série sem ajuste sazonal, o comércio varejista cresceu 5,9% em novembro, comparado a outubro, a oitava taxa positiva seguida e a segunda maior registrada em 2017.

Os dados relativos à Pesquisa Mensal do Comércio (PMC) foram divulgadas nesta terça, dia 9 de janeiro, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com Isabella Nunes, gerente da pesquisa, as promoções pela internet se destacaram no penúltimo mês do ano. "O que observamos em novembro é que as atividades mais sensíveis às promoções de novembro, que têm o foco nas vendas pela internet, foram as que se destacaram. Isso mostra que a queda de outubro foi uma postergação de compras para novembro", esclarece a especialista.

Com o resultado, o volume de vendas do comércio fechou o acumulado de janeiro a novembro em 1,9%, e o acumulado dos 12 meses em 1,1%, mantendo, desta forma, a trajetória ascendente iniciada em outubro de 2016, quando o setor havia fechado em queda de 6,8%.

Na passagem de outubro para novembro, cinco das oito atividades pesquisadas tiveram resultados positivos, sendo que os maiores avanços foram observados nos setores de outros artigos de uso pessoal e doméstico (8,0%), que teve o maior avanço desde fevereiro de 2004 (8,0%); e móveis e eletrodomésticos (6,1%), maior resultado desde março de 2017 (6,6%).

Livros, jornais e papelaria (1,4%); artigos farmacêuticos, médicos, ortopédicos, de perfumaria e cosméticos (1,2%); e hipermercados, supermercados, produtos alimentícios, bebidas e fumo (0,8%) completam os setores que tiveram resultados positivos.

Melhor novembro

O crescimento de 5,9% em novembro do ano passado, frente a novembro de 2016, foi o melhor resultado para os meses de novembro desde os 7,1% de 2013.

Para Isabella, esse resultado mostra que apesar das promoções de novembro estimularem as vendas do comércio, é necessário haver, também, uma conjuntura econômica adequada ao consumo.

"Essas promoções [pela internet, como a Black Friday] ainda estão se firmando no Brasil, as últimas três edições foram as mais fortes, mas a conjuntura não favorecia as vendas".

Segundo ela, "já em 2017, o poder de consumo aumentou em relação aos três anos anteriores, houve uma queda do desemprego, aumento da renda e redução da inflação, por exemplo. Não é à toa que esse novembro está em um ritmo mais forte".

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários