Comércio de Belo Horizonte deve perder quase R$ 870 milhões com os feriados de 2018

Neste ano, teremos cinco datas que poderão se transformar em feriados prolongados

por Da redação com assessorias 05/01/2018 08:52

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Google Street View/Reprodução
(foto: Google Street View/Reprodução)
Muita gente ficou feliz quando descobriu que o calendário de 2018 está "recheado" de feriados, muitos deles prolongados. Porém, o que é considerado "festa" para uns, é sinônimo de tristeza para outros. Segundo estimativa da Câmara de Dirigentes Lojistas de Belo Horizonte (CDL/BH), neste ano, o comércio da capital mineira deve ter prejuízo no faturamento de cerca de R$ 868,01 milhões devido aos feriados nacionais e municipais.

Em 2017, como a maioria dos feriados caiu na quinta-feira, o varejo de Belo Horizonte registrou um prejuízo de R$ 976,75 milhões. Em 2018, ao todo, serão 13 datas, sendo que 11 delas serão em dias úteis. A estimativa é de que em apenas um dia de comércio fechado, o setor deixe de faturar cerca de R$ 66,77 milhões. "O prejuízo que o feriado causa para cada comerciante, de forma individual, varia muito. Mas, independentemente do tipo do comércio, o dano é grande", comenta Bruno Falci, presidente da CDL/BH. "Com a possibilidade de esticar o fim ou o início da semana, muitas pessoas optam por viajar e o fluxo de gente circulando na cidade diminui, o que afeta diretamente o volume de vendas", completa o empresário.

Em 2018, quatro feriados cairão na sexta-feira; cinco poderão ser prolongados, já que três serão em terças-feiras e dois na quinta-feira. "Esses feriados possuem um forte impacto negativo no comércio, pois os consumidores têm a possibilidade de emendar à folga para viajar", afiam Falci. A segunda e a quarta-feira terão comemorados apenas um feriado em cada. "Quando cai no meio da semana, o trabalhador não consegue emendar e permanece na cidade. E, ao deixar de viajar, sobra mais dinheiro para consumir na capital", diz o presidente da CDL/BH. No fim de semana, serão dois feriados, incidindo no sábado, que é considerado como o melhor dia para o comércio.

Vale lembrar que, em BH, o comércio só pode funcionar em feriados caso esteja previsto na Convenção Coletiva do Comércio. E nas datas que forem permitidas, o lojista tem de arcar com as despesas adicionais. "O custo trabalhista para o empresário que abrir o comércio em feriados é elevado, é obrigatório o pagamento de hora extra. Além disso, existe a possibilidade das vendas serem mais fracas que nos dias comuns", afirma Bruno Falci.

Últimas notícias

Comentários