Entenda o hipertireoidismo, que afeta a atriz Bruna Marquezine

A atriz da Globo descobriu que tem disfunção na tireoide ao emagrecer para fazer a novela Deus Salve o Rei

por João Paulo Martins 10/01/2018 09:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/brumarquezine/Reprodução
Ao emagrecer para fazer a personagem Catarina, na novela Deus Salve o Rei, da Globo, a atriz Bruna Marquezine descobriu ser vítima de uma disfunção na tireoide chamada hipertireoidismo (foto: Instagram/brumarquezine/Reprodução)
Durante a festa de lançamento da novela Deus Salva o Rei, da TV Globo, a atriz Bruna Marquezine, de 22 anos, que, recentemente, reatou o namoro com o craque Neymar, disse ao jornal carioca Extra que precisou perder alguns quilos para fazer a personagem Catarina, uma rainha perversa na trama. Porém, durante o processo de emagrecimento, a jovem artista teria descoebrto ser vítima de uma disfunção na tireoide.

"Não fiz essa transformação da noite para o dia, não tive que sacrificar minha saúde. Mas, com isso, consequentemente, eu descobri, me cuidando, que eu tenho um probleminha na tireoide. Não chega a ser uma doença, mas ela não está funcionando muito bem. É só uma função que não está rolando e muitas mulheres sofrem disso. Isso fez com que eu acabasse emagrecendo. Porque o meu metabolismo não estava funcionando como deveria estar como uma menina de 22 anos", comenta Bruna Marquezine ao jornal Extra.

O problema que a atriz está enfrentando é chamado de hipertireoidismo. Segundo informação publicada no site da Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia (SBEM), esta condição faz com que a glândula tireoide, localizada na região da garganta, se torne hiperativa e produza excesso de hormônios tireoidianos. "O hipertiroidismo é mais comum em mulheres entre 20 e 40 anos, mas os homens também podem ter essa condição", diz a SBEM.

Entre os principais sintomas do hipertireoidismo, destaque para a sensação de calor; o aumento da transpiração; a fraqueza muscular; os batimentos cardíacos acelerados; o cansaço/fadiga; e a perda de peso. Se não tratada, esta disfunção da tireoide pode levar a outros problemas de saúde, inclusive graves, como insuficiência cardíaca e osteoporose. Pessoas com hipertireoidismo leve e idosos podem não ter qualquer sintoma, de acordo com a SBEM.

O tratamento do hipertireoidismo depende da causa, da idade, da condição física da pessoa e de quão sério é o problema. Normalmente, ele pode ser feito por meio de medicamentos antitireoidianos, iodo radioativo e até cirurgia. "Neste caso, a remoção cirúrgica da tireoide (tireoidectomia) é uma solução permanente, mas não a preferida dos médicos, por causa do risco de danos às glândulas para tireoides (que controlam os níveis de cálcio no organismo) e aos nervos da laringe (cordas vocais)", esclarece a Sociedade Brasileira de Endocrinologia e Metabologia. Portanto, é essencial buscar ajuda profissional assim que houver qualquer sintoma que indique problemas na tireoide.

Últimas notícias

Comentários