Estação espacial chinesa que cairá na Terra em março pode conter substância perigosa

Os destroços da espaçonave de quase nove toneladas devem atingir o oceano, mas eles poderão estar contaminados com hidrazina

por Encontro Digital 02/01/2018 10:59

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
China Manned Space Agency/Divulgação
A estação espacial chinesa Tiangong-1, de 8,5 toneladas, está descontrolada e pode cair na Terra em março deste ano, contendo em seu interior a hidrazina, uma substância muito tóxica (foto: China Manned Space Agency/Divulgação)
Depois de ter ficado descontrolada em março de 2016, a estação espacial chinesa Tiangong-1, que pesa cerca de 8,5 toneladas, deve entrar na na atmosfera da Terra em março deste ano. A expectativa é que os destroços sobreviventes à entrada incinerante em nossa camada atmosférica caiam no mar.

Porém, o laboratório construído pela China National Space Administration (Administração Espacial Nacional da China), e que entrou em atividade em 2011, pode trazer riscos devido não apenas pela iminente queda de seus detritos, mas também pela possível dispersão de substâncias altamente tóxicas.

De acordo com uma recente previsão do Centro de Estudos de Órbitas e Reentrada de Destroços da corporação Aerospace (CORDS, na sigla em inglês), a estação espacial chinesa poderia conter em seu interior um perigoso combustível chamado hidrazina – parece com amônia, mas é bem mais potente.

"A bordo da nave espacial pode haver uma substância altamente tóxica e corrosiva chamada hidrazina, que pode 'sobreviver' à reentrada na atmosfera. Para sua segurança, não toque em nenhum resíduo que possa encontrar no chão, tampouco inale os vapores que este possa emitir", adverte o CORDS em publicação feita em seu site oficial.

Segundo a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos, o contato com a hidrazina pode provocar uma série de sintomas que incluem convulsões, cegueira temporária e até coma.

Para se ter uma ideia do perigo dessa substância, em fevereiro de 2008 os EUA destruíram um satélite espião, que estava descontrolado, alegando que o depósito de combustível do equipamento estava cheio de hidrazina.

Especialistas acreditam que os restos do Tiangong-1 – que será substituído pelo laboratório Tiangong-2 – devem cair na Terra em meados de março de 2018. A maior parte dos destroços deve atingir o oceano, mas se existe uma probabilidade de um em 10 mil de que detritos aterrissem em uma área povoada.

(com Agência Sputnik)

Últimas notícias

Comentários