Hospital da Tailândia oferece procedimento polêmico de branqueamento genital

Homens e mulheres buscam "clarear" seus órgãos sexuais, pagando até R$ 2,1 mil por isso

por Encontro Digital 05/01/2018 12:42

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
O governo da Tailândia está preocupado com uma nova "moda" entre os homens e  mulheres do país: o branqueamento do órgão sexual. O procedimento estético polêmico está sendo realizado pelo hospital Lelux, em Bangcoc, capital do país. De acordo com o Ministério da Saúde tailandês, fazer o processo que torna o pênis branco pode causar sérios efeitos colaterais, incluindo dor e problemas sexuais. As informações são da rede de notícias britânica BBC.

Essa nova "moda" na Tailândia segue a onda racista que existe no país, e que insiste em associar as pessoas de pele mais escura às classes sociais baixas, especialmente a de trabalhadores do campo. Como mostra a BBC, existem inúmeros produtos voltados para o clareamento da pele nesse país do sudeste asiático. E o branqueamento sexual é apenas mais uma opção para queles que querem se "inserir na elite" tailandesa.

A rede de notícias britânica ouviu um paciente que se sujeitou ao procedimento duvidoso. Ele disse ter passado pelo branqueamento para se sentir mais confiante e que já teria notado uma "mudança significativa" em seu órgão genital. A fonte ouvida pela BBC contou ainda que as cinco sessões realizadas no hospital Lelux teriam custado o equivalente R$ 2,1 mil.

Para se ter ideia do "sucesso" dessa iniciativa da empresa, o anúncio oferecendo o serviço estético ja recebeu quase 20 mil compartilhamentos no Facebook em apenas dois dias de lançamento. Só que, o que muitos internautas não sabem, é que o hospital começou com a oferta do braqueamento vaginal. Mas, conforme Popol Tansakul, gerente de marketing do Hospital Lelux, disse à BBC, os pacientes masculinos começaram a pedir o procedimento para o pênis. Com isso, um mês depois, eles já estavam trabalhando também com o órgão masculino.

Em meio às críticas, inclusive do governo tailandês, o hospital diz receber, em média, até 30 pacientes por mês em busca da mudança da cor dos órgãos sexuais. Curiosamente, os clientes não são formados apenas por tailandeses. O Lelux recebe pacientes de outras regiões da Ásia, como Myanmar (ou Birmânia), Camboja e Hong Kong, na China.

Vale dizer que essa instituição particular de saúde da Tailândia não faz apenas o procedimento polêmico. Ela é especializada em cirurgias plásticas.

Últimas notícias

Comentários