O que gasta mais combustível: andar com a janela aberta ou com o ar-condicionado ligado?

Estudo americano encontrou a resposta para essa dúvida frequente dos motoristas

por Da redação com assessorias 25/01/2018 10:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Finalmente foi descoberta a resposta para uma dúvida muito comum dos motoristas: o que gasta mais combustível, deixar as janelas abertas ou o ar-condicionado ligado? (foto: Pixabay)
Se você dirige, com certeza já deve ter se perguntado o que gasta mais combustível: andar com as janelas do carro abertas ou com o ar-condicionado ligado? Esta dúvida também afeta diretamente o bolso dos brasileiros, já que a gasolina, principal combustível usado no país, está beirando a casa dos R$ 5.

Segundo um estudo realizado pela Sociedade de Engenharia Automativa dos Estados Unidos, dirigir com o ar-condicionado ligado é a melhor maneira de economizar combustível. Mas, em alguns casos, pode não ser a opção mais indicada. "Há dois fatores que devem ser considerados ao abordar esse assunto. Primeiro, diz respeito ao funcionamento do compressor de ar no veículo e a quantidade a mais de combustível que o motor precisa para operar. Em segundo lugar, é o que se conhece como arrasto", explica Rodrigo Mourad, sócio-fundador da Cobli. O arrasto, para quem não sabe, é a resistência que o carro e todos os objetos em movimento encontram quando se deslocam pelo ar a qualquer velocidade. "Se você já colocou sua mão para fora da janela de um carro em movimento, sentiu o que é essa 'resistência'", exemplifica o empresário.

Hoje, praticamente todos os carros são projetados para serem aerodinâmicos, ou seja, foram construídos para "atravessar" o ar com o mínimo de "atrito" possível. Porém, isso é afetado quando os veículos andam com os vidros abertos, pois o ar entra pelas janelas e causa uma maior resistência.

"Para entender de forma prática, pense no veículo como um paraquedas. Quando um paraquedista abre o equipamento, este "segura" o ar, o que causa arrasto o suficiente para diminuir a velocidade da queda e permitir o pouso com segurança. Ao contrário dos paraquedistas, motoristas não querem que isso aconteça com o carro, porque faz com que o motor trabalhe mais para que o veículo se mantenha na mesma velocidade ou acelere", comenta Mourad.

A pesquisa da instituição americana foi feita no túnel de vento da montadora General Motors e demonstra os efeitos do arrasto. No estudo foram usados deslocamentos de ar frontal e lateral, para simular vento cruzado. OS pesquisadores descobriram que ao dirigir a velocidades superiores a 80 km/h, com as janelas abertas, há uma diminuição da eficiência do combustível em até 20%, número superior se comparado ao gasto relacionado ao uso do ar-condicionado. Segundo os especialistas, o consumo de combustível seria cerca de 10% maior por conta da força do motor para ligar o compressor que refria o ar.

Mas, e no dia-dia, como funciona? "Quanto menor a velocidade, menor a influência da resistência do ar. Então, se o veículo trafega pela cidade, por exemplo, é mais eficiente dirigir com as janelas abertas, pois o atrito com o ar quase não afetará o consumo", esclarece Rodrigo Mourad.

Outro ponto que deve ser analisado é que, quando o automóvel está mais devagar, o motor entrega menos potência, isso significa que ele teria que trabalhar muito mais para alimentar acessórios como o compressor de ar.

Portanto, nas estradas, em que se consegue atingir maiores velocidades e de forma contínua, o ar-condicionado é a melhor pedida.

Últimas notícias

Comentários