Metade dos brasileiros pretendem votar em candidato que consideram honesto nas Eleições 2018

Pesquisa do SPC Brasil mostra ainda que muitos espera que o combate à corrupção continue

por Da redação com assessorias 19/01/2018 10:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas/Divulgação
(foto: Rafael Neddermeyer/Fotos Públicas/Divulgação)
Aproveitando que estamos num ano eleitoral, um levantamento feito pelo Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e pela Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) mostra que 47% dos brasileiros esperam que o combate à corrupção esteja na lista de principais prioridades do novo presidente do país. Já 39% citaram o investimento na saúde como ação primordial e 33% o investimento na educação. Em seguida aparecem a segurança pública (32%) e a geração de empregos (29%).

Ao avaliar como deveria ser o próximo governante do Brasil, 70% desejam que seja alguém que realize projetos de melhorias para a população na saúde e educação e em obras de infraestrutura. Entre as principais características pessoais que são determinantes para que votem em um candidato estão a honestidade (50%); ser alguém que cumpre o que promete (35%); e que saiba abrir mão dos seus interesses particulares em benefício dos interesses da população (32%).

Já a maior parte dos entrevistados (63%) do SPC Brasil afirma que não votaria de forma alguma em um candidato envolvido em escândalos de corrupção e 34% jamais votariam em alguém distante da população e que não conhece os problemas do povo.

Curiosamente, a pesquisa mostra que 47% dos brasileiros estão, atualmente, indiferentes à eleição presidencial de 2018, por acreditarem que tudo continuará "na mesma". Apesar disso, sete em cada 10 entrevistados esperam que o novo governante faça uma grande mudança em relação ao que vem sendo feito. Outros 20% desejam mudanças, mas também querem a manutenção de alguns programas e reformas e somente 6% esperam continuidade às diretrizes do atual presidente.

"Não há consenso total entre os brasileiros em relação às reformas estruturais em andamento no país, de acordo com a pesquisa. Algumas são consideradas fundamentais e deveriam prosseguir, enquanto outras são tratadas com menos importância, sendo que, neste caso, boa parte dos entrevistados pensa que o melhor seria o presidente eleito em 2018 interrompê-las, ou então continuar com elas, desde que haja correções de rumo", afirma Flávio Borges, superintendente do SPC Brasil.

A pesquisa entrevistou 682 pessoas, entre 27 de novembro e 7 de dezembro de 2017, de ambos os sexos e acima de 18 anos, de todas as classes sociais em todas as regiões brasileiras.

Últimas notícias

Comentários