Estudo comprova efeito benéfico da música para hipertensos

As canções ajudariam a potencializar os medicamentos que controlam a pressão arterial

por Vinícius Andrade 29/01/2018 09:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Todo mundo sabe que a música serve para relaxar, se divertir, concentrar, entre outras "funções". Mas, recentemente, foi descoberto um novo benefício dessa forma de arte. Um estudo realizado pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) em parceira com a Faculdade de Juazeiro do Norte (CE), Faculdade de Medicina do ABC (SP) e com a Universidade Brookes de Oxford, na Inglaterra, concluiu que as canções podem ajudar também no tratamento de pacientes que sofrem com a hipertensão.

A pesquisa, publicada no periódico científico Scientific Reports, do grupo Nature, acompanhou por dois dias, 37 hipertensos que tomam remédio para controle da doença. No primeiro dia, os pacientes tomaram o medicamento anti-hipertensivo e, em seguida, tiveram seus parâmetros cardiovasculares monitorados por uma hora enquanto ouviam música. No segundo dia, o procedimento foi repetido, porém, sem as canções.

"Depois que os pacientes tomam o medicamento e ouviram música, a frequência cardíaca caiu de um modo bem mais intenso. Já os valores da pressão arterial não fizeram tanta diferença", revela o pesquisador Vitor Valenti, da Unesp, um dos responsáveis pelo estudo. Ou seja, a música seria capaz de intensificar os efeitos benéficos dos remédios no coração em um curto prazo.

Foram utilizadas cinco canções na realização do estudo: as versões instrumentais de Someone Like You e Hello, da cantora britânica Adele; Airstream, da banda Electra; instrumental de Amazing Grace (My Chains Are Gone), do cantor americano Chris Tomlin; e Watermark, da musicista irlandesa Enya.

(com portal da Unesp)

Últimas notícias

Comentários