Pesquisador da USP cria pomada transparente que trata feridas do herpes em pouco tempo

A descoberta do novo medicamento se deu por acaso e foi feita por um dentista

por Marcelo Fraga 09/01/2018 09:39

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cleveland Clinic Health Essentials/Reprodução
Quem tem herpes labial costuma se sentir constrangido por conta das feridas que surgem na boca. Um pesquisador da USP criou uma pomada transparente que promete tratar esse problema rapidamente (foto: Cleveland Clinic Health Essentials/Reprodução)
É provável que você conheça pelo menos uma pessoa que sofra ou já tenha sofrido com o temido herpes. Pode ser até que você também já tenha sido vítima da pequena, mas incômoda, ferida que surge, de repente, nos lábios ou em outras regiões próximas à boca. Este problema é causado pelo herpes tipo 1, ou herpes simplex, que pode se manifestar, até mesmo, nos órgãos genitais.

Pois aqui vai uma boa notícia para as vítimas dessa doença: um pesquisador da Universidade de São Paulo (USP) está desenvolvendo um gel com o poder de eliminar, em questão de horas, esse tipo de erupção na pele. A solução "mágica" foi descoberta, quase sem querer, por Vinícius Pedrazzi, professor de Odontologia da USP.

Em entrevista publicada pelo jornal Folha de S. Paulo na sexta-feira, dia 5 de janeiro, ele explica que estava com dificuldades para colocar uma prótese ortodôntica em uma paciente, porque ela estava sentindo dores decorrentes de uma ferida causada pelo herpes. Sendo assim, ele aplicou um anestésico no local e, horas após o procedimento, recebeu uma ligação da paciente dizendo que a ferida havia desaparecido.

Depois do ocorrido, o professor e pesquisador iniciou estudos para descobrir o que ocorreu e, a partir disso, desenvolveu um gel que tem como base o anestésico utilizado em seu consultório. As pesquisas de Vinícius Pedrazzi ainda prosseguem, mas, segundo informou na entrevista à Folha, aparentemente, o que sua pomada faz é "bloquear a ação viral por um processo de envelopamento", fazendo o vírus ficar inativo. Ele disse também que, agora, pretende patentear o medicamento – já existiria até uma empresa interessada em utilizar comercialmente o gel.

Outra curiosidade sobre o produto criado pelo professor da USP é que, ao contrário das tradicionais pomadas usadas contra o herpes, ele é transparente, parecido com uma cola. Depois de algumas horas da aplicação, ele seca e pode ser retirado. Ou seja, ajuda também a evitar constrangimentos causados pelas feridas típicas do problema.

Prevenção

Existem quatro tipos de vírus do herpes, de acordo com informações publicadas no site da Sociedade Brasileira de Dermatologia (SBD). O mais comum é o tipo 1, que causa feridas na boca e em outras partes do corpo, cuja infecção, geralmente, ocorre durante a infância ou na adolescência. Para evitar contaminação ou o surgimento das lesões, a SBD ressalta três cuidados básicos:

  • usar preservativo em todas as relações sexuais

  • não beijar a boca e não tocar a pele de pessoas que estejam com os ferimentos do herpes

  • não compartilhar objetos íntimos

Tratamento

De acordo com a Sociedade Brasileira de Dermatologia, o tratamento do herpes é, atualmente, feito por meio de comprimidos ou pomadas e deve ser sempre orientado por um médico. Ainda segundo a entidade, medicamentos podem acelerar a cicatrização das feridas, que, normalmente, permanecem visíveis de sete a 14 dias na pele.

Últimas notícias

Comentários