Anvisa suspende lotes de três medicamentos, incluindo um destinado à hipertensão

Foram encontrados problemas em lote do Somaflex, do Unasyn e de um cloridrato de propanolol

por Encontro Digital 27/02/2018 08:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Em decisão publicada na segunda, dia 26 de fevereiro, a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) decidiu suspender dois lotes de medicamentos e interditou cautelarmente o lote de um terceiro remédio. Segundo a própria Anvisa, todos os casos foram motivados pelos resultados insatisfatórios identificados no controle de qualidade dos produtos (Somaflex, Unasyn e cloridrato de propanolol).

Somaflex

A Anvisa determinou a suspensão do lote 917278 do medicamento Somaflex (diclofenaco sódico) 100 mg, comprimido revestido, fabricado pela empresa farmacêutica EMS (Sigma Pharma Ltda.). Conforme o laudo de análise fiscal emitido pelo Instituto Adolfo Lutz, de São Paulo, o lote 917278, com validade em novembro de 2018, apresentou resultado insatisfatório para a análise de aspecto.

Unasyn

Já o medicamento Unasyn, sulbactam sódico + ampicilina sódica, em pó para solução injetável, 1G 2 G; teve o lote N1791505 suspenso pela Vigilância Sanitária. A decisão foi tomada depois que a própria empresa identificou um corpo estranho dentro de um frasco do lote N1791505 do produto.

A empresa fabricante, a Wyeth Indústria Farmacêutica Ltda., comunicou o recolhimento voluntário do lote do remédio. Assim, a Anvisa suspende a distribuição, a comercialização e o uso do lote do produto irregular em todo o território nacional.

Cloridrato de propranolol

Também foi interditado pela agência o medicamento genérico cloridrato de propranolol, 40 mg, comprimido, lote 211151, validade até fevereiro de 2019, fabricado pela empresa Pharlab Indústria Farmacêutica SA. O produto apresentou resultado insatisfatório nos ensaios de rotulagem secundária e aspecto, que avaliam a aparência e as características físicas do produto, respectivamente.

O laudo foi emitido pelo Laboratório Central de Saúde Pública, do Distrito Federal, como parte do programa Proveme, da Anvisa, que coleta e avalia medicamentos disponíveis no mercado.

Como medida preventiva, a agência determinou a interdição cautelar do lote 211151 do medicamento até a verificação de informações adicionais.

A Anvisa alerta que, nos três casos, somente os lotes citados estão suspensos ou interditados. Os demais lotes dessas empresas ou produtos de outros fabricantes continuam liberados.

(com portal da Anvisa)

Últimas notícias

Comentários