Megatsunami poderá ser causado por deslizamento de terra no oceano

Estudo mostra que o maiores deslizamentos de terra já registrados se deram no fundo do mar

por Vinícius Andrade 19/02/2018 09:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Deslizamentos de terra, geralmente, estão associados aos continentes, mas, este tipo de fenômeno geológico também é registrado nos oceanos e, em breve, um deles poderá ocasionar um tsunami catastrófico. Pelo menos é o que indica um estudo do Centro Helmholtz de Pesquisas Oceânicas (Geomar, na sigla em inglês), que fica em Kiel, no norte da Alemanha.

Segundo a pesqusiadora Morelia Urlaub, principal autora do estudo, que foi publicado em fevereiro no periódico Geology, um quinto de todos os tsunamis pode ser causado por desmoronamentos submarinos. "Além disso, eles são uma ameaça a qualquer infraestrutura no fundo do mar, como aquelas relacionadas à exploração de hidrocarbonetos, tubulações/oleodutos e cabos de telecomunicações, afetando nosso tráfego de internet", comenta a pesquisadora em entrevista para o portal de notícias científicas LiveScience.

Conforme a análise dos cientistas alemães, os deslizamentos mais consideráveis foram registrados no fundo do mar. A erupção vulcânica no monte Santa Helena, nos Estados Unidos, em 1980, por exemplo, desencadeou um colapso de três km³ de rocha. Já os deslizamentos ocorridos em Storegga, no mar da Noruega, há cerca de 8.150 anos, provocaram a movimentação de aproximadamente 3,5 mil km³ de fragmentos. Os pesquisadores estimam que esta catástrofe norueguesa tenha resultado num tsunami com ondas que chegaram a até 20 m de altura.

Curiosamente, os maiores deslizamentos submarinos ocorreram perto de declives quase planos, com inclinação inferior a três graus. Como consequência desses desmoronamentos, trabalhos anteriores descobriram que são formadas fracas camadas de materiais incorporadas com sedimentos estáveis.

O grupo de pesquisa liderado por Morelia Urlaub conseguiu identificar que essas fracas camadas são ricas em diatomáceas (algas unicelulares que chegam a atingir dois milímetros) cobertas por uma camada de sedimento de argila. Segundo os estudiosos, essa combinação pode favorecer os deslizamentos de terra no fundo dos oceanos.

À medida que o peso aumenta em cima da camada de argila, ela esmaga as diatomáceas, empurrando a água para fora. Além disso, conforme a pressão vai aumentando, a água também é forçada para dentro da argila, fazendo com que ela se enfraqueça e permita os deslizamentos de terra.

"Se as camadas de diatomáceas são um fator importante para os grandes deslizamentos submarinos, entender de que forma elas se depositam poderá ajudar a prevenir futuras catástrofes", afirma Morelia Urlaub ao LiveScience.

(com portal LiveScience)

Últimas notícias

Comentários