Anglo American precisa limpar a região do vazamento do mineroduto até dia 31

A mineradora britânica despejou 300 toneladas de polpa de minério em Santo Antônio do Grama (MG)

por Encontro Digital 16/03/2018 11:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
TV Globo/Reprodução
(foto: TV Globo/Reprodução)
A mineradora britânica Anglo American tem até o dia 31 de março para recolher o minério que vazou de seu mineroduto e sedimentou na calha e nas margens do ribeirão Antônio do Grama, que fica na cidade de mesmo nome, em Minas Gerais. Este é o prazo concedido pela secretaria de estado de Meio Ambiente e Desenvolvimento Sustentável (Semad) de Minas, conforme o auto de fiscalização que o órgão ambiental entregou para a empresa na quinta, dia 15 de março.

O documento, produzido pelo Núcleo de Emergência Ambiental da secretaria, prevê também que a mineradora deve apresentar, em cinco dias, um laudo atestando a estabilidade da barragem de emergência, estrutura utilizada para armazenar a polpa de minério quando se faz manutenção no duto. Além disso, no prazo de 30 dias, a Anglo American precisará concluir o Projeto de Recuperação da Área Degradada.

A Semad determinou ainda que deverá receber, semanalmente, informações atualizadas sobre as investigações acerca do rompimento e, duas vezes por semana, os resultados das análises das amostras da qualidade da água no ribeirão Antônio do Grama.

Além disso, a mineradora precisará fornecer os dados técnicos que levaram ao cálculo do volume do vazamento. Segundo a Anglo American, foram 300 toneladas de polpa de minério.

Vazamento

O rompimento do mineroduto ocorreu às 7h42 de segunda, dia 12 de março, impactando o ribeirão, manancial que fornece água para o abastecimento do município de Santo Antônio do Grama (MG), que tem uma população de aproximadamente 4,2 mil pessoas e fica a 210 km de Belo Horizonte.

Para atender os moradores da cidade, a mineradora disponibilizou caminhões-pipa em um primeiro momento. Paralelamente, em acordo com a Companhia de Saneamento de Minas Gerais (Copasa), teve início a captação de água no Córrego do Salgado.

O mineroduto é parte do empreendimento Minas-Rio, que envolve a extração de minério nas serras do Sapo e Ferrugem e o beneficiamento nos municípios de Conceição do Mato Dentro (MG) e Alvorada de Minas (MG). O tubo tem 525 km e é responsável por levar a produção até um porto em Barra de Açu, no município de São João da Barra, no litoral do Rio de Janeiro. Todo o complexo é apontado pela Anglo American como seu maior investimento mundial.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários