Saiba a verdade sobre o vídeo da senadora Gleisi Hoffmann direcionado ao mundo árabe

Boatos dizem que a parlamentar petista teria solicitado o apoio de terroristas para soltar Lula da prisão

por Marcelo Fraga 24/04/2018 10:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Facebook/Gleisi Hoffmann/Reprodução
A informação de que a senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) teria feito um vídeo para pedir que terroristas árabes ajudem a soltar Lula não passa de fake news (foto: Facebook/Gleisi Hoffmann/Reprodução)
Em meio à turbulência política vivida no Brasil, muitas polêmicas surgem, todos os dias, envolvendo especialmente parlamentares e ex-políticos. O caso mais recente está ligado à publicação de um vídeo, no dia 18 de abril, pela senadora Gleisi Hoffmann (PT-PR) em sua conta oficial no Facebook. A presidente nacional do PT aparece enviando um comunicado à rede árabe de TV Al Jazeera, do Catar, sobre a prisão do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

No vídeo, Gleisi Hoffmann pede atenção do mundo árabe para a prisão de Lula, que, na opinião dela, teria sido uma condenação injusta. "Me dirijo ao mundo árabe, através da Al Jazeera, para denunciar que o ex-presidente Lula é um preso político em nosso país. Ele foi condenado por juízes parciais num processo ilegal. Não há nenhuma prova de culpa, apenas acusações falsas", diz a senadora do PT.

Em outro trecho, ela ressalta que "Lula é amigo do mundo árabe e que foi o único presidente brasileiro a visitar o Oriente Médio". Ainda conforme a parlamentar, no vídeo publicado em seu perfil, o comércio entre o Brasil e o mundo árabe se fortaleceu durante o governo do petista.

Muitos usuários deixaram comentários na publicação divulgada no Facebook e se manifestaram favoravelmente e também de forma contrária ao discurso da presidente do Partido dos Trabalhadores. "É isso, então? É isso que querem? Convocar os muçulmanos para uma guerra?", reclama o internauta identificado como Igor Ritter. Já o usuário Jaime Gonçalves apoiou a senadora: "É bom mesmo que o mundo saiba que o Brasil foi vítima de um golpe onde os mais prejudicados são as pessoas que estão perdendo seus empregos, investimentos sociais e até os direitos de escolha".

Incitação ao terrorismo?

Imediatamente após a divulgação do vídeo, a parlamentar foi acusada pela senadora Ana Amélia (PP-RS) de, na entrevista, incitar "atos de hostilidade" contra o Brasil.  A parlamentar gaúcha chegou até a relacionar a emissora árabe Al Jazeera ao terrorismo.

Que também não aprovou a entrevista de Gleisi Hoffmann foi o deputador federal Major Olimpio (PSL-SP). Ele protocolou uma ação contra a presidente nacional do PT junto à Procuradoria Geral da República (PGR), ao TSE (Tribunal Superior Eleitoral) e ao Senado Federal.

O vídeo da entrevista da parlamentar à Al Jazeera também gerou uma onda de fake news (notícias falsas) que começaram a circular na internet, impulsionadas pelas redes sociais, dando conta que, na gravação, a senadora estaria supostamente pedindo ao mundo árabe que atentados terroristas ocorressem no Brasil contra a prisão de Lula.

Segundo o site e-Farsas, especializado em desmentir boatos na internet, existem inconsistências no discurso de Gleisi Hoffmann, mas, em momento algum, a petista teria incitado o terrorismo contra o Brasil. Ou seja, as notícias dando conta de que a senadora petista estaria pedindo "atentados" no país não passam de fake news – criadas propositalmente para gerar temor na população.

Entre os pontos da entrevista à Al Jazeera checados pelo e-Farsas, a informação de que apenas Lula teria visitado o Oriente Médio não condiz com a verdade. Enquanto presidente, Dilma Rousseff chegou a visitar o Catar, o que contraria a fala da senadora do PT.

Outra inconsistência na fala de Gleisi Hoffmann no polêmico vídeo diz respeito à afirmação de que o Brasil foi um dos três países não-árabes a participar da chamada Conferência de Annapolis, nos Estados Unidos, em 2007. O evento discutiu o conflito entre Israel e Palestina em conjunto com a comunidade internacional e teve a participação de diversas nações, incluindo México, Noruega, Canadá, Espanha e Itália, conforme apuração do próprio e-Farsas.

O site especializado em desmentir boatos destaca, ainda, que a gravação compartilhada no Facebook pela senadora paranaense foi publicado originalmente numa plataforma online de vídeos da emissora árabe, chamado Al Jazeera Mubasher, que é acessível a qualquer pessoa. Portanto, a entrevista de Gleisi não necessariamente foi exibida pela famosa rede de TV do Catar.

Assista, abaixo, ao vídeo original publicado pela senadora no Facebook:

Últimas notícias

Comentários