Cai número de brasileiros que consideram o ensino médio do país bom ou ótimo

Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria revela que aumentou a percepção de que a educação está ruim

por Encontro Digital 03/04/2018 10:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Pesquisa da Confederação Nacional da Indústria (CNI), realizada em parceria com o movimento Todos Pela Educação, aponta que 26% dos entrevistados consideram ruim ou péssimo o ensino médio do Brasil. Em 2013, quando um levantamento semelhante foi feito, o percentual era de 15%. No nível fundamental, o percentual passou de 18% para 27%. A pesquisa foi realizada pelo Ibope Inteligência e ouviu duas mil pessoas entre 15 e 20 de setembro do ano passado em 126 municípios.

Os entrevistados que consideraram o ensino médio da rede pública como ótimo ou bom caiu de 48% para 31% e no ensino fundamental o percentual passou de 50% para 34%.

Segundo a pesquisa da CNI, 12% dos brasileiros acreditam que o aluno do ensino médio das escolas públicas está bem preparado para se inserir no mercado de trabalho, enquanto 23% dizem que eles está despreparado.

Ainda de acordo com os dados, aumentou de 61% para 74% o percentual dos que concordam totalmente que um ensino de baixa qualidade é prejudicial para o desenvolvimento do país. A pesquisa aponta também que 81% das pessoas concordam que o problema da educação pode ser atribuído à má utilização das verbas destinadas ao setor.

Soluções

Entre as principais ações apontadas para melhorar o desempenho dos alunos do ensino básico público foram as seguintes iniciativas: equipar melhor as escolas; ações para estimular a participação dos pais na cobrança por uma boa escola; ações para aumentar a segurança nas escolas; e para melhorar o sistema de ensino.

Também foram citadas a necessidade de aumentar o salário dos professores e elevar o número de docentes, além de ações para melhorar a formação dos profissionais do ensino.

Procurado pela Agência Brasil, o Ministério da Educação informou que não costuma se posicionar sobre estudo que não seja oficial do governo.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários