Novo estudo confirma associação entre carne vermelha e câncer colorretal

Segundo os cientistas, dieta rica nessa proteína é um perigo

por João Paulo Martins 03/04/2018 13:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Segundo dados do Instituto Nacional do Câncer (Inca), em 2018 o Brasil pode registrar 36.360 novos casos de câncer colorretal – tumor que acomete o cólon ou o reto, na extremidade inferior do trato digestivo. Deste total, devem ser afetados 17.380 homens e 18.980 mulheres. Ainda conforme o Inca, esse tipo de tumor é o terceiro mais mortal do país. Uma forma de prevenir a doença, como mostra mais uma pesquisa, é a retirada de carne vermelha e processada do cardápio.

Uma equipe de pesquisadores da Universidade de Leeds, na Inglaterra, e da Universidade do País Basco, na Espanha, analisou o efeito da carne vermelha, de aves, de peixes ou de dietas vegetarianas em relação ao aparecimento de câncer de cólon e reto. Os resultados foram publicados no site do periódico científico International Journal for Cancer.

O estudo reuniu dados de 32.147 mulheres com idades entre 35 e 69 anos, moradoras da Inglaterra, do País de Gales e da Escócia. Todas haviam participado do levantamento Estudo de Coorte das Mulheres do Reino Unido e foram acompanhadas por um período médio de 17 anos.

Depois de avaliar as dietas de cada mulher, os pesquisadores as separaram em quatro padrões alimentares:

  • As vegetarianas foram definidas como as que consumíam aves de carnes vermelhas ou pescado pelo menos de uma vez por semana

  • Comedoras de peixe foram definidas como as que consumíam pescado pelo menos uma vez por semana, sem incluir aves domésticas ou carne vermelha

  • Comedoras de aves domésticas eram as que consumíam esse tipo de ave pelo menos uma vez por semana, podendo comer peixes, mas não carne vermelha

  • Comedoras de carne vermelha foram definidas como aquelas que consumíam esse produto pelo menos uma vez por semana, podendo ou não ingerir aves e peixes

Para a realização da pesquisa, foram consideradas carnes vermelhas as provenientes do gado, do porco, as processadas, as de cordeiro e os miúdos.

Ao avaliar a associação entre cada tipo de dieta e o risco de aparecimento de tumor em regiões específicas do cólon, os pesquisadores descobriram que as mulheres que foram incluídas no grupo que comía carne vermelha tinham taxas mais altas de câncer de cólon distal (região posterior do órgão), em comparação com as que se alimentaram exclusivamente de peixes e/ou aves.

"Nossa pesquisa é um dos poucos estudos que analisam essa relação e, embora seja necessária uma análise mais aprofundada, por meio de uma avaliação maior, ela pode fornecer informações valiosas para aqueles com histórico familiar de câncer colorretal e aqueles que trabalham com prevenção", comenta Diego Rada Fernandez de Jauregui, da Universidade do País Basco, principal autor do estudo, no artigo recém publicado.

Pesquisas anteriores já tinham sugerido que o consumo elevado de carne vermelha ou processada poderia aumentar o risco de câncer. Um relatório de 2015 da Agência Internacional de Pesquisa sobre o Câncer (IARC, na sigla em inglês), que analisou 800 estudos de todo o mundo, descobriu que a carne processada aumentava o risco de câncer colorretal e também de tumor no pâncreas e na próstata.

Últimas notícias

Comentários