Saiba quais doenças podem ser transmitidas dos pets para os humanos

Micose, raiva e febre maculosa são alguns problemas passíveis de transmissão

por Da redação com assessorias 02/04/2018 08:04

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Manter em dia a saúde, a higiene e o bem-estar dos animais de estimação vai além de uma demonstração de carinho. Dar banho regularmente; visitar o veterinário; tomar as vacinas necessárias; e manter limpo o local onde o pet costuma ficar são cuidados essenciais também para manter saudável todo o ambiente doméstico.

Essas medidas contribuem para evitar que os bichinhos transmitam para os humanos inúmeras doenças, incluindo algumas que podem levar até à morte.

Por isso, a prevenção ainda é o melhor remédio para nossos pets. Para esclarecer os tutores, o médico veterinário José Roberto Souza Ribeiro, da Health For Pet, fala sobre as doenças mais comuns que podem ser transmitidas dos animais de estimação para os humanos:

Micose
A doença causada por fungos é uma zoonose que gera infecção na pele, formando uma erupção em forma de anel ou uma falta de pelos. O especialista lembra que o fungo, em si, não provoca coceira, somente quando existe uma infecção secundária. Ele destaca os principais sintomas: mancha avermelhada na pele e intensa coceira. "É importante saber que humanos também podem transmitir os fungos para seus pets e não apenas o contrário", comenta o veterinário.

Leptospirose
A doença é transmitida, normalmente, por roedores, que podem passar para cães e humanos por meio do contato com a urina contaminada – é causada por uma bactéria presente na urina dos ratos que contamina a água. "É transmitida às pessoas quando a pele com pequenas lesões entra em contato com locais e objetos contaminados. É uma doença grave que deve ser tratada de forma rápida e sempre sob a orientação de um médico", afirma José Ribeiro. Para evitar o contágio, ele alerta que não se deve deixar comida em vasilhames destampados por muitas horas, principalmente durante a noite. "Além de combater os ratos; não descuidar das vacinas dos pets; e manter a higiene do local em que o animal fica".

Raiva
É transmitida por mamíferos, como gato, cachorro e morcegos hematófagos, por meio da mordida. "A raiva, embora seja uma doença bem conhecida da população, não deve ser menosprezada, já que causa a morte. O vírus encontra-se presente na saliva de animais infectados e rapidamente ataca o sistema nervoso central, causando uma doença no cérebro seguida de morte", alerta o especialista. Os sintomas podem ser confundidos com os de outras doenças, como febre, dor de cabeça e fraqueza. "Portanto, ao associar uma mordida a esses sintomas, procure auxílio médico". A vacina é a melhor prevenção para o pet, já que a doença não tem cura.

Sarna sarcóptica
Transmitida por cães, gatos, coelhos e cavalos, o problema é causado pelo ácaro Sarcoptes scabiei, um parasita que provoca machucados na pele do animal e das pessoas. "Esse ácaro penetra a epiderme e provoca coceira e inflamação. Os sintomas são pele avermelhada, erupções cutâneas, queda de pelos, crostas na pele e escoriações, por se coçar em excesso", esclarece o veterinário. Para evitar essa doença, é importante manter a higiene do bichinho de forma regular, conforme orientação de um profissional.

Doença de Lyme
"Ela pode causar uma febre recorrente e calafrios e é provocada pela bactéria espiroqueta Borrelia burgdorferi, transmitida por carrapatos presentes em animais domésticos", explica José Ribeiro. Além da febre, ela também provoca coceira intensa, manchas vermelhas ou esbranquiçadas na pele, que que pode ser notado a partir do quinto dia após a infecção, completa o especialista. "Outros sintomas podem ser fadiga, dores musculares, dor de cabeça e aumento de volume dos gânglios linfáticos". De acordo com informações do Ministério da Saúde, a Doença e Lyme não existe no Brasil.

Febre maculosa
Transmitida pela picada do carrapato Amblyoma cajennense, conhecido como estrela, a bactéria Rickettsia ricketsii leva ao aparecimento dos sintomas a partir de quatro a seis horas após a infecção. "Seus sintomas podem ser confundidos com de uma gripe, o que agrava um breve diagnóstico da doença e tardia o tratamento correto, já que muitas vezes as pessoas não procuram por cuidados médicos e assim agravam o quadro da doença, chegando até mesmo ao óbito", comenta o veterinário. A doença causa febre alta, dores de cabeça e dores musculares, que aparecem de forma rápida em humanos. Manchas rosáceas nas extremidades, como punhos, tornozelos, pescoço, palmas das mãos e solas dos pés também é indicativo da febre maculosa, orienta Ribeiro.

Últimas notícias

Comentários