Australiano doou sangue durante 61 anos e ajudou mais de dois milhões de bebês

James Harrison está com 81 anos e precisou interromper, a contragosto, sua boa ação

por João Paulo Martins 11/05/2018 12:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
9News/Reprodução
O australiano James Harrison, aos 81 anos, acaba de fazer sua última doação de sangue. Ele realizou esta boa ação durante 61 anos e ajudou nada menos que 2,4 milhões de bebês (foto: 9News/Reprodução)
O australiano James Harrison, de 81 anos, virou notícia em todo o mundo nesta sexta, dia 11 de maio, após interromper um ciclo ininterrupto de 61 anos de doações de sangue semanais. Conhecido como o "homem do braço de ouro", o carismático morador de Umina Beach, em Nova Gales do Sul, na Austrália, vinha doando sangue desde 1957 e fez nada menos que 1173 doações. Com isso, segundo matéria divulgada pela rede de TV australiana 9News, ele chegou a ajudar nada menos que 2,4 milhões de bebês.

Harrison é dono de um tipo sanguíneo especial: possui anticorpos únicos que combatem doenças e que foram usados %u200B%u200Bpara desenvolver uma injeção de imunoglobina chamada Anti-D, que ajuda a evitar a eritroblastose (ou doença de Rhesus): quando o sangue do feto sofre hemólise, ou seja, é aglutinado pelos anticorpos do corpo da mãe.

Esta é uma história impressionante e emocionante de um "super-homem" da vida real. Mas, por causa da idade avançada, apesar de James insistir que gostaria de continuar sendo um doador de sangue, os médicos pediram que interrompesse a boa ação, para preservar sua própria saúde. "Eu salvei muitas vidas e trouxe muitos jovens para o mundo. Isso me faz sentir bem. Eu aumentei a população em tantos milhões, acho...", comenta James Harrison em entrevista para a 9News.

A história fantástica do australiano de bom coração começou em 1951, quando James precisou fazer uma cirurgia para retirada de um pulmão. Como o procedimento era muito delicado, ainda mais naquela época, ele teve de receber 13 litros de sangue, que foram doados por terceiros. Esta ação benevolente, que salvou a vida de James Harrison, virou uma espécie de missão: ele entendeu que precisava, também, salvar a vida de outras pessoas, como se fosse uma promessa a ser cumprida. Neste caso, o aposentado acabou "pagando" a promessa milhões de vezes.

O número de doações fez com que, em 2003, Harrison recebesse o reconhecimento do livro Guinness Book de recordes como a pessoa do mundo que mais doou sangue. Para a emissora australiana, ele revelou que espera, "de coração", que seu recorde seja quebrado.

Últimas notícias

Comentários