Descoberto um buraco negro gigante que 'come' o equivalente a meio Sol por dia

O quasar se encontra a 12 bilhões de anos-luz da Terra

por João Paulo Martins 15/05/2018 15:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
ABC News/Reprodução
O novo buraco negro encontrado por cientistas australianos é tão grandioso que sua massa é 20 bilhões de vezes maior que a do nosso Sol (foto: ABC News/Reprodução)
Pesquisadores da Escola de Pesquisa de Astronomia e Astrofísica, da Universidade Nacional da Austrália, descobriram um buraco negro que está crescendo de forma "extrememente rápida". Sua taxa de expansão é de 1% a cada um milhão de anos. Ele é tão grande que, a cada dois dias, consome uma massa equivalente ao nosso Sol – que é de 1,989 octilhão de toneladas ou 332.900 vezes a da Terra.

"O que é realmente importante, agora, é encontrar os buracos negros mais massivos, porque eles são os mais difíceis de explicar", afirma o astrônomo Christian Wolf, um dos autores do estudo, em entrevista para a rede de TV australiana ABC News.

Buracos negros supermassivos – também chamados de quasares – são difíceis de encontrar entre as bilhões de estrelas existentes no Universo. A luz ultravioleta emitida pelo novo quasar foi detectada pelo telescópio SkyMapper, que pertence à Universidade Nacional da Austrália e fica no observatório Siding Spring, na província de Nova Gales do Sul.

Segundo os cientistas, existe um buraco negro supermassivo no centro da nossa própria galáxia, mas, em comparação com o recém encontrado, pode ser considerado "leve". "O da Via Láctea tem uma massa cinco milhões de vezes maior que a do nosso Sol, ou seja, 40 mil vezes menor do que a massa do buraco negro que encontramos agora", comenta Christian Wolf à ABC News. "Estimamos que esse buraco negro tenha uma massa de pelo menos 20 bilhões de vezes a do Sol", completa.

Assim como seu apetite voraz, provavelmente esse quasar emite tanto raio-X que nenhuma forma de vida poderia existir à sua volta. Mas, não entre em pânico. O pesquisador australiano diz que ele não vai "sugar" a Terra. "Não precisamos ter medo dele. Está muito longe. Sua luz viajou por 12 bilhões de anos até chegar a nós. Só agora pudemos vê-lo", afirma Wolf.

Ou seja, esse buraco negro supermassivo surgiu quando o nosso Universo tinha "apenas" 1,2 bilhão de anos – a idade aproximada atual é de 13,8 bilhões de anos.

Os cientistas consideram esse achado um verdadeiro enigma para a astronomia, já que não conseguem entender como um quasar se tornou tão grande em tão pouco tempo. O artigo com o estudo foi publicado no periódico científico da Sociedade Astronômica da Austrália.

Últimas notícias

Comentários