Ao menos nove países correm o risco de ter surto de ebola, diz OMS

A grave doença está fazendo vítimas no Congo e pode se espalhar

por Encontro Digital 25/05/2018 11:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Segundo Tedros Adhanom Guebreyesus, diretor-geral da Organização Mundial da Saúde (OMS), pelo menos nove países da África correm risco elevado de sofrerem surtos de transmissão do vírus ebola, que foi registrado na República Democrática do Congo. "Estamos fazendo todo o possível para impedir que o ebola se espalhe para além das fronteiras e também para estarmos preparados caso isso aconteça", diz o representante da OMS em pronunciamento feito na 71ª Assembleia Mundial da Saúde, na quinta, dia 24 de maio.

Na reunião, representantes da OMS e governos de países vizinhos ao Congo aproveitaram para discutir o cenário de ebola na região. "Nove países foram avisados que estão sob alto risco e ações de prontidão estão em andamento", diz Guebreyesus.

Casos

A República Democrática do Congo já notificou 58 casos de ebola. Os números incluem 28 casos confirmados, 21 casos prováveis e nove suspeitos, além de 27 mortes. A maior parte das infecções foi identificada nas regiões de Bikoro (29 casos) e Iboko (22 casos).

Vacinação

Desde o início da semana, o Ministério da Saúde local, em parceria com a própria OMS, com a entidade internacional Médicos sem Fronteiras e com o Fundo das Nações Unidas para a Infância trabalham para vacinar comunidades mais afetadas pelo vírus extremamente perigo.

Mas, o imunizante que está sendo administrado possui caráter experimental e já havia sido testado na Guiné em 2015. Segundo a OMS, a vacina foi utilizada em diversos ensaios envolvendo mais de 16 mil voluntários na Europa, na África e nos Estados Unidos e se mostrou segura para o uso em humanos.

Emergência

O Congo vive seu nono surto de ebola desde a descoberta do vírus, em 1976. Na sexta, dia 18 de maio, a OMS optou por não declarar emergência internacional em saúde pública, mas alertou que a situação na região africana desperta preocupação e que países vizinhos foram avisados da possibilidade de disseminação do vírus.

(com Agência Brasil)

Últimas notícias

Comentários