Praticar Lian Gong, de graça, em BH, pode ajudar contra problemas de saúde

A ginástica terapêutica chinesa compreende movimentos que trabalham várias partes do corpo

por Encontro Digital 09/05/2018 10:54

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Flcikr/PBH/Naara Dias/Divulgação
Idosos e pessoas que sofrem de dores no corpo são os principais beneficiados pela prática de Lian Gong, que é oferecida de graça em vários pontos de Belo Horizonte (foto: Flcikr/PBH/Naara Dias/Divulgação)
Nas nove regionais da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), em 179 locais diferentes, desde 2007, é oferecida a prática de Lian Gong, ginástica terapêutica originária da China que tem como objetivo a prevenção e o tratamento das dores. A prática corporal melhora o funcionamento dos órgãos internos e a mobilidade, além de estimular a percepção dos sentidos e de trabalhar as emoções. A atividade é realizada dentro das unidades de saúde ou no seu entorno, como praças, quadras, igrejas, escolas e parques, conduzida por 248 trabalhadores/instrutores.

Na região leste, por exemplo, a ginástica é realizada em 10 espaços, sendo um deles a praça Comendador Negrão de Lima, no bairro Floresta. Segundo a instrutora Andreia Cioglia, a atividade faz bem para o corpo e a mente. "É um momento de concentração que traz uma sensação de relaxamento. A prática corporal é opção para todos os públicos, e existe uma grande adesão da terceira idade. Não têm contraindicação e os benefícios são inúmeros, como a melhora do condicionamento físico e a promoção da autoestima", comenta a instrutora em entrevista para o portald a PBH.

Segundo a enfermeira Luciana de Carvalho, do centro de saúde do bairro Horto e instrutora de grupo de Lian Gong que se reúne no salão de uma igreja no bairro Santa Tereza, a ginástica é uma ação preventiva. "Entre os benefícios podemos citar: a melhora da qualidade de vida, diminuição da procura pelo atendimento nas unidades de saúde e redução do uso de remédios; aumento do equilíbrio e da flexibilidade e atenuação das dores articulares e musculares", afirma a especialista.

A médica Luzia Toyoko Hanashiro, coordenadora do Programa Lian Gong em 18 Terapias no SUS de Belo Horizonte, explica que os movimentos do Lian Gong são suaves e firmes. "Dissolve as tensões musculares, alonga os tendões e trabalha os espaços articulares, a coordenação e a percepção dos sentidos, além de promover a reeducação postural", completa a médica.

Ginástica terapêutica

Essa prática corporal chinesa é composta por 54 movimentos divididos em três partes: anterior, posterior e I Qi Gong. Com 18 movimentos, cada série, que trabalham determinada área do corpo. Na primeira, os exercícios são direcionados para o tratamento das dores crônicas no pescoço, ombros, costas, lombar e pernas. A segunda previne dores nas articulações, tendões e desordens funcionais dos órgãos internos, e na terceira parte, os exercícios são direcionados para o fortalecimento das funções do coração e pulmão e a organização e fortalecimento do Qi, o sopro vital do corpo. A atividade tem duração de 30 a 60 minutos. Para obter resultados é preciso que seja feita pelo menos duas vezes por semana.

Para participar do Lian Gong oferecido pela PBH não é necessário passar por uma avaliação ou ter um encaminhamento. As pessoas que o frequentam, em geral, são usuários dos centros de saúde ou moradores dos bairros onde a atividade ocorre.

(com portal da PBH)

Últimas notícias

Comentários