Homeopatia, acupuntura e antroposofia são ofertadas gratuitamente em Belo Horizonte

Pacientes podem aproveitar os tratamentos alternativos reconhecidos pelo SUS

por Encontro Digital 26/06/2018 15:49

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Nem todos sabem, mas pacientes das nove regionais de Belo Horizonte podem contar com práticas complementares em saúde ou medicinas alternativas como forma de tratamento. Ofertadas pelo Sistema Único de Saúde (SUS), homeopatia, acupuntura e antroposofia são ofertadas na capital mineira.

As três modalidades têm como ponto em comum a estimulação da energia vital e como propósito a recuperação da saúde, estabelecendo uma reação curativa e harmonizando todo o corpo. A disponibilidade desses tratamentos alternativos nos centros de saúde da Prefeitura de Belo Horizonte (PBH), segundo a administração municipal, segue as diretrizes e recomendações da Organização Mundial de Saúde (OMS) e da Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares.

Os pacientes são encaminhados pelos médicos dos centros de saúde aos especialistas em homeopatia, acupuntura e antroposofia quando são identificadas as necessidades por cada tratamento.

De acordo com o médico homeopata Thales Onofri, a modalidade trata desde doenças agudas como quadros alérgicos, transtornos emocionais, psiquiátricos até doenças crônicas, como diabetes, hipertensão, tireoide, problemas asmáticos, ósseo-articulares e problemas no aparelho digestivo. "Como estamos falando de uma ciência médica, essa terá o seu alcance terapêutico e suas limitações relacionadas a uma série de fatores, desde a vitalidade do paciente, sua reserva orgânica até a reação ao uso do medicamento homeopático", explica o especialista em entrevista ao portal da PBH.

O princípio da semelhança é a base principal da homeopatia, pois individualiza o tratamento, trabalhando o terreno que essa doença está se manifestando, com o objetivo de tratar o doente e não a doença. "Esse princípio consiste na ideia de que os semelhantes se curam pelos semelhantes. Em outras palavras, para tratar uma pessoa doente é necessário aplicar um medicamento que reproduza os mesmos sintomas que o indivíduo apresentar", afirma Thales.

Assim como o medicamento homeopático, o antroposófico também é constituído da extração de substâncias da natureza, resultante dos reinos mineral, vegetal e animal, e são feitos através de uma farmacotécnica própria que imprimem uma ação dinâmica a esses medicamentos.

A acupuntura também é oferecida no Centro de Saúde Clóvis Boechat de Menezes, no bairro Pompeia, na região leste de BH. Como lembra o médico acupunturista Amir Attoni, essa prática da medicina tradicional chinesa é caracterizada pela inserção de agulhas em pontos específicos da superfície do corpo. "O objetivo é tratar diversas doenças, como dores articulares, depressão, fibromialgia e ansiedade. O atendimento vai além de 'inserir agulhas no corpo do paciente', pois é realizada a anamnese, entrevista com o paciente para estabelecer o diagnóstico preciso, verificar sua história e suas principais queixas para definir a conduta terapêutica mais adequada", comenta Clóvis.

(com portal da PBH)

Últimas notícias

Comentários