Convidados do batizado do príncipe Louis comeram bolo de sete anos atrás

Foi a mesma guloseima do casamento de Kate Middleton e príncipe William

por João Paulo Martins 13/07/2018 14:55

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/kensingtonroyal/Reprodução
No batizado do pequeno príncipe Louis, os convidados comeram um pedaço do bolo que foi servido no casamento de Kate Middleton e William, há sete anos (foto: Instagram/kensingtonroyal/Reprodução)
Sabia que os convidados que participaram do batizado do príncipe Louis Arthur Charles, de 2 meses, filho da duquesa de Cambridge Kate Middleton, de 36 anos, e do príncipe William, de 36, do Reino Unido, provaram um pedaço de bolo de sete anos? Enquanto você fica com medo de comer um biscoito que está guardado a alguns dias, imagine saborear uma guloseima que foi servida no dia 29 de abril de 2011, no casamento de Kate e William, realizado na Abadia de Westminster, em Londres?

Apesar de parecer bizarra, segundo matéria publicada pelo site da revista Capricho, existe uma tradição na realeza inglesa de comer parte do bolo de casamento dos pais no batizado dos filhos. Isso teria começado com a rainha Elizabeth II, de 92 anos, que, em novembro de 1947, se casou com Philip, duque de Edimburgo, atualmente com 97 anos. Quando tiveram o príncipe Charles, em 1948, os governantes do Reino Unido comeram um pedaço do bolo de casamento deles no batizado do futuro rei.

Claro que, para durar tanto tempo e não causar problemas nos convidados, como uma infecção gastrointestinal (ou gastroenterite), normalmente causada por vírus, é preciso que o bolo seja feito com ingredientes que durem bastante tempo. De acordo com a Capricho, no casamento de Kate Middleton e William foi servido o tradicional fruitcake (bolo de fruta secas) inglês, que pode ser conservado por alguns meses em temperatura ambiente e até por alguns anos, se for congelado.
YouTube/Breaking News/Reprodução
O bolo de frutas (fruitcake) servido no casamento de Kate Middleton e do príncipe William foi guardado por sete anos e servido no batizado do terceiro filho deles (foto: YouTube/Breaking News/Reprodução)

"Os ingredientes secos e cremosos têm o que chamamos de 'baixa atividade de água', o que significa que eles possuem muito pouca umidade disponível. A baixa atividade de água é importante porque muitos micro-organismos, incluindo bactérias causadoras de doenças, precisam de umidade para se reproduzir. Em termos práticos, isso torna a maioria dos bolos extremamente estáveis, de modo que eles seriam seguros para comer por um longo tempo", esclarece Ben Chapman, pesquisador de Segurança Alimentar na Universidade Estadual da Carolina do Norte, nos Estados Unidos, em entrevista para o tabloide britânico Daily Mail.

O cientista lembra que algumas pessoas têm o costume de guardar o bolo de frutas num pano embebido em rum ou outra bebida destilada, para reduzir as chances de surgimento de mofo ou outro tipo de levedura. Porém, como costumam levar ovo e manteiga como parte dos ingredientes, ainda que a aparência e o cheiro estejam agradáveis, a guloseima típica dos casamentos ingleses, se for guardada por muito tempo, pode apresentar um sabor rançoso. "Quando as proteínas são expostas ao ar, elas podem se tornar oxidadas, o que cria sabores e odores rançosos", diz Chapman ao Daily Mail.

Embora seja possível manter o bolo de frutas "para sempre", provavelmente é melhor comê-lo dentro de alguns meses, concluiu o cientista americano.

A reportagem da Capricho lembra que é possível que Kate Middleton e William tenham servido o mesmo bolo do casamento nos batizados dos filhos "mais velhos" George Alexander Louis, de 4 anos, e Charlotte Elizabeth Diana, de 3.

Últimas notícias

Comentários