Dores musculares podem aumentar no Inverno

Aquecer o corpo e os músculos antes dos exercícios ajuda a evitar o problema

por Da redação com assessorias 03/07/2018 10:25

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Apesar das baixas temperaturas do Inverno ajudarem na maior queima calórica durante as atividades físicas, é comum, também, que as pessoas tenham mais dores muscoesqueléticas nesta época do ano. Segundo a fisioterapeuta Magda Rocha, essas dores aparecem porque o nosso organismo precisa lançar mão de alguns recursos para se adaptar à mudança de clima e manter os órgãos na temperatura ideal.

"As baixas temperaturas levam à contração dos vasos sanguíneos das extremidades do corpo e a consequente diminuição do aporte de sangue nessas regiões. Ocorre uma redução de oxigênio e uma elevação dos níveis de lactato [ácido lático nos tecidos]", explica a especialista. Ela completa, dizendo que estão mais propensos às dores no Inverno os idosos, sedentários e pessoas com condições preexistentes como lombalgia, fraturas, doenças articulares e reumatológicas. "Portadores de doenças cardiovasculares também apresentam elevado risco de agravo do quadro clínico em função da sobrecarga nesse sistema", afirma Magda Rocha.

Mãos, pés e cotovelos, geralmente, estão mais suscetíveis às dores nos dias frios, devido à maior exposição ao clima, conforme explica a fisioterapeuta. Para diminuir esses sintomas, é importante se agasalhar bem, utilizar acessórios para aquecer os locais mais expostos e se alimentar de forma adequada. A prática de exercícios físicos é essencial não somente para reduzir a intensidade da dor, como para impedir que ela apareça, recomenda a especialista.

Para se exercitar com segurança, durante o Inverno, e manter a performance elevada, uma estratégia importante é o aquecimento antes dos exercícios, aponta Magda. Além de estabilizar a temperatura muscular e corporal, aquecer ajuda a evitar lesões e deve ser feito de 10 a 20 minutos antes do treinamento, priorizando os grupos musculares que serão trabalhados.

"É importante ressaltar que o alongamento estático não pode ser considerado uma modalidade de aquecimento. Inclusive, pode prejudicar o desempenho muscular, além de não promover o aumento da temperatura corporal. Já o alongamento realizado de forma dinâmica permite melhora da flexibilidade, não prejudica o desempenho muscular e pode ser executado com movimentos oscilatórios e rítmicos", orienta a fisioterapeuta.

Últimas notícias

Comentários