Entenda o encapsulamento da prótese de silicone, que ocorreu com a apresentadora Xuxa

A 'Rainha dos Baixinhos' precisou trocar os implantes devido à rejeição

por João Paulo Martins 09/07/2018 08:00

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Instagram/xuxamenegheloficial/Reprodução
Depois de trocar as próteses nos seios em março de 2017, Xuxa notou que uma delas havia sofrido rejeição mais grave, causando dor. Com isso, precisou voltar no cirurgião plástico (foto: Instagram/xuxamenegheloficial/Reprodução)
Cirurgias plásticas são muito comuns no Brasil (2º do ranking mundial, perdendo apenas para os Estado Unidos), especialmente o implante de próteses de silicone nos seios, para aumentar o volume das mamas. As celebridades são as principais adeptas desse tipo de procedimento estético. Uma delas é a apresentadora Xuxa, de 55 anos. Ela usa as próteses há tempos e, depois de fazer a troca dos implantes em março de 2017, segundo informações do jornalista Leo Dias, colunista do jornal carioca O Dia, ela precisou voltar às pressas para a clínica, porque houve "encapsulamento" do silicone.

"Um dos silicones 'encapsulou', ou seja, foi rejeitado pelo corpo da apresentadora. O outro inverteu. Para corrigir os problemas, Xuxa foi internada para colocar novas próteses com uma técnica diferente: o silicone agora está por baixo do músculo da loura. Por causa do novo procedimento, Xuxa tem ido a um hospital em São Paulo periodicamente para acompanhar o resultado da cirurgia via ultrassom", informa Leo Dias, que também é apresentador do programa Fofocalizando, do SBT/Alterosa, na nota publicada na quarta, dia 4 de julho.

O colunista teve acesso ao laudo médico da apresentadora da Rede Record, que diz que a "Rainha dos Baixinhos" "relatou suspeita de que o quadro de encapsulamento estaria se repetindo, acompanhado de dor e endurecimento da mama, porém, com evolução mais rápida que os episódios anteriores".

Segundo o cirurgião plástico Flávio Garcia, da clínica Dream Plastic, de São Paulo (SP), em texto publicado no site da própria instituição, a rejeição da prótese de silicone ou "contratura capsular" é uma reação normal do organismo, que pode acontecer nas mulheres que colocaram silicone nos seios. "Quando o organismo detecta a presença de um corpo estranho, sua função é expulsar ou absorver este ser desconhecido. No caso da prótese de silicone, o corpo desenvolve uma membrana fininha que funciona como um sistema de defesa. Essa película envolve o implante e o isola, a fim de proteger o organismo [...] O encapsulamento de prótese de silicone acontece quando a membrana criada fica mais espessa. A cápsula começa a apertar a prótese e, com o passar do tempo, ele é cada vez mais comprimido. Até que o material do silicone não aguenta a pressão e se rompe. Esse é um problema raro que qualquer pessoa pode ter", diz o especialista.

As mulheres com silicone nos seios que sentirem incômodos constantes; mama com formato diferente (assimetria); pequenos ondulamentos na superfície da prótese; endurecimento da região; e fortes dores e mama inchada, podem estar com encapsulamento. "Esses sintomas de rejeição de prótese de silicone aparecem justamente porque a cápsula fibrosa está fazendo uma contração no implante. O que causa diferentes graus de endurecimento. Mas mesmo nesses casos, não precisa haver desespero, pois o problema pode ser facilmente resolvido pelo cirurgião plástico. O índice desse problema nas próteses mais modernas é baixo, surge em torno de 1% das pacientes que têm silicone", explica Flávio Garcia no texto divulgado em seu site.

O médico cita os diferentes graus do encapsulamento de prótese de silicone:

  • Grau 1: a mama está normal, as mulheres não sentem incômodos e não há alterações estéticas

  • Grau 2: ao apalpar a mama, a paciente sente levemente o implante. Mas não há alterações visíveis

  • Grau 3: o implante pode ser sentido ao palpar a mama. Há assimetria em relação ao outro seio

  • Grau 4: a mama fica endurecida, há assimetria grave e dor constante

"Os cirurgiões plásticos consideram uma rejeição de prótese silicone a partir do terceiro grau. Já que os sintomas são mais intensos, havendo deformidade da mama e até deslocamento da prótese de silicone. Infelizmente, os médicos ainda não conseguiram identificar o motivo desta complicação. Não se sabe por que em algumas mulheres acontece logo no primeiro mês e em outras após muitos anos. Atualmente, o que se sabe é que as chances de ocorrer rejeição de prótese silicone é de aproximadamente 0,5%. Claro, se a paciente optar por marcas que utilizam tecnologias avançadas", comenta o cirurgião plástico.

Últimas notícias

Comentários