Publicidade

Estado de Minas CIêNCIA

Júpiter acaba de 'ganhar' 12 novas luas

Agora, o planeta gigante gasoso passa a ter 79 satélites naturais


postado em 18/07/2018 11:25 / atualizado em 18/07/2018 11:33

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)
Uma equipe de astrônomos do Instituto Carnergie, dos Estados Unidos, comandada pelo físico Scott Sheppard, descobriram 12 novos satélites naturais no planeta Júpiter, o maior do Sistema Solar, e cuja distância da Terra varia entre 628 milhões de km a 928 milhões de km.

Agora, o Gigante Gasoso passa a contar com nada menos que 79 satélites ou luas.

De acordo com informação divulgada pela agência espanhola de notícias EFE, a primeira pista sobre essas novas luas se deu durante a última Primavera (no Hemisfério Norte), quando a equipe do Instituto Carnergie examinava o céu em busca de objetos distantes como parte da "caça" ao possível planeta X, que existiria além da órbita de Plutão.

Após a descoberta, o Centro de Planetas Menores da União Astronômica Internacional usou os dados obtidos pelos astrônomos americanos para calcular as órbitas das novas luas. Este processo durou cerca de um ano, segundo explica o cientista Gareth Williams à EFE. "São necessárias várias observações para confirmar que um objeto realmente orbita Júpiter", afirma o especialista.

Nove dos novos satélites naturais jupiterianos são parte de uma nuvem externa que orbita o planeta gasoso em direção contrária à rotação de Júpiter. Eles levaram cerca de dois anos para dar a volta no astro e acredita-se que são os resquícios de três corpos celestes maiores que se romperam devido a colisões no passado.

Outras duas luas teriam se formado mais próximas de Júpiter, orbitando o planeta na mesma direção de sua rotação, com distâncias orbitais e ângulos de inclinação similares, por isso também poderiam ser parte de um satélite natural maior.

A última lua é "realmente um objeto raro", nas palavras de Sheppard, que explica que se trata de um satélite que tem uma órbita que não se parece com a de nenhuma das outras luas de Júpiter. Além disso, a Valetudo (nome proposto para essa lua em homenagem à deusa romana da saúde e da higiene, bisneta do deus Júpiter) tem apenas 1,5 km de diâmetro, por isso é provável que seja o menor dos satélites naturais do Gigante Gasoso.

A descoberta da maior parte das novas luas de Júpiter se deu com a ajuda do telescópio Victor Blanco, que fica em Colina Tololo, no Chile. Recentemente, o equipamento recebeu melhorias, incluindo uma câmera de energia escura, o que o transforma em "uma potente ferramenta" para monitorar o céu noturno em busca de objetos pouco luminosos.

(com Agência EFE e Agência Brasil)

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade