Múmia de três dedos do Peru não é alienígena, e sim, nova espécie humana

Isso segundo um pesquisador britânico que analisou o corpo mumificado

por João Paulo Martins 25/07/2018 08:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
YouTube/Gaia/Reprodução
O cientista britânico Steve Mera analisou a "misteriosa" múmia de três dedos do Peru e descobriu que não é alienígena, e sim, uma nova espécie de ser humano (foto: YouTube/Gaia/Reprodução)
Lembra da múmia de três dedos, que foi encontrada por ladrões numa região de Nazca, no Peru, no início de 2017? Pois é, ao contrário do que disse o professor russo Konstantin Korotkov em março deste ano, após supostamente estudar esses restos mortais, o estranho corpo mumificado não é "alienígena", mas sim, uma nova espécie de ser humano. Isso segundo estudo genético feito por um cientista britânico. A informação foi divulgada pelo jornal britânico Daily Express.

O cientista e documentarista Steve Mera acredita ter encontrado uma nova espécie de ser humano depois de fazer uma série de testes científicos e estudos numa das múmias peruanas, a de três dedos. Usando análise de DNA e de carbono 14, o pesquiasador descobriu que esse corpo mumificado pode ter 1,8 mil anos de idade.

Além disso, os resultados sugerem que a múmia curiosa seria 98,5% "primata" e 1,5% "desconhecida" – porém, com uma estrutura genética similar à de um ser humano.

Como mostra o Daily Express, Steve Mera teve acesso aos cadáveres que estão guardados no Instituto Inkari, em Cusco, no Peru, e pôde, inclusive, levar várias amostras para testes de DNA.
YouTube/Gaia/Reprodução
(foto: YouTube/Gaia/Reprodução)

Juntamente com o pesquisador holandês Barry Fitzgerald, o britânico visitou o país sul-americano em julho do ano passado.

Ao periódico, Steve Mera diz acreditar que suas descobertas podem "alterar os livros de história para sempre". Ele também está preparando um documentário sobre a pesquisa com as "misteriosas" múmias peruanas.

O cientista diz ainda que os outros cadáveres encontrados, que alguns pensavam ser extraterrestres, na verdade, teriam sido falsificados para chamar a atenção do público. Para isso, os charlatões teriam usado ossos e peles de animais.

Porém, a múmia apelidada de Maria, que contém três dedos e cabeça alongada, fez com que Mera acreditasse se tratar de uma versão ancestral e ainda desconhecida de ser humano. "Podemos dizer que temos evidências de que o corpo de 'Maria' constitui uma descoberta incrível. Uma descoberta que pode nos levar a alterar nossos livros de história para sempre. Ela pode ser a descoberta mais importante do século XXI", afirma o pesquisador ao Daily Express. "Nós assumimos este caso para refutar muitas das alegações não científicas de que esses misteriosos corpos eram de fato 'extraterrestres' em sua origem, e nós conseguimos fazer exatamente isso, exceto pelo grande corpo de 'Maria'", completa o britânico.

Últimas notícias

Comentários