Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Saiba por que pessoas de todo o mundo viajam à Turquia para fazer transplante capilar

O país recebe 60 mil visitantes anualmente à procura de tratamentos para a calvície


postado em 06/02/2020 14:43 / atualizado em 06/02/2020 15:44

As operações de transplante capilar movimentam mais de um bilhão de dólares por ano na Turquia(foto: Pixabay)
As operações de transplante capilar movimentam mais de um bilhão de dólares por ano na Turquia (foto: Pixabay)
Seja qual for a idade ou grau de intensidade, a calvície é um problema que costuma ter o seu peso na vaidade dos homens. Segundo dados da OMS, a condição atinge metade dos indíviduos de sexo masculino até 50 anos de idade. Mas a batalha contra a queda dos fios não é uma guerra perdida. Jefferson Glayson de Paula começou a sofrer com a calvície quando tinha apenas 21 anos. "Eu sempre disse: no dia que alguém descobrir algo que faça crescer cabelo sem deixar cicatriz, eu vou fazer", conta o empresário de 42 anos.

A promessa começou a se tornar realidade quando um amigo mostrou para ele um vídeo de um youtuber brasileiro, que tinha viajado para a Turquia em busca de uma cirurgia de transplante capilar que não deixasse cicatriz. Foi assim que o empresário conheceu a chamada técnica FUE (sigla em inglês para "Extração de Unidades Foliculares"). Ela é feita retirando os fios um a um das áreas não afetadas pela calvície, para implantá-los em outras partes do couro cabeludo. "São cortes extremamente pequenos, sem a necessidade de tomar pontos", conta Serkan Ayg%u0131n, médico dermatologista responsável pela operação de Jefferson. "Nós utilizamos uma lâmina de safira, que contribui para a diminuição da descamação e acelera o processo de recuperação". Depois de terminado o processo de implantar os fios na cabeça do paciente; os folículos começam a crescer cerca de 2 meses após a operação.

O caso de Jefferson, que foi à Turquia para combater a calvície, não é raro. Em 2015, cerca de 60 mil pessoas foram para o país a procura de tratamentos como o do empresário, resultando em uma indústria que movimenta mais de um bilhão de dólares por ano. "Hoje, em Istambul, temos cerca de 300 clínicas de transplante capilar", diz Serkan. Toda essa oferta fez com que o preço das operações ficasse mais em conta no país euro-asiático do que em outros países, atraindo turistas de várias partes do mundo. "Também estamos tendo grandes inovações em várias áreas médicas. Hoje, cerca de 400 mil pessoas estudam medicina nas faculdades da Turquia".

O preço da operação? "Fica entre 14 e 15 mil reais", conta Priscila Cardoso, fundadora da Cabelo Turquia. A empresa vende o pacote completo, com direito a hotel, intérprete, transporte e consulta, para quem pretende visitar o país a procura da tal cirurgia. "O que mais tenho hoje é indicação. As pessoas que vão acabam indicando a operação para muitos amigos, que ficam impressionados com os resultados."

Curiosidade

Curiosamente, o primeiro transplante capilar da história aconteceu na Turquia. Menahen Hodara foi um dermatologista que nasceu em Istambul, no ano de 1869. Na época, a cidade era a capital do Império Turco Otomano. Em 1897, o médico realizou um procedimento revolucionário. Ele cortou pedaços entre 1 e 4 milímetros do cabelo de alguns pacientes jovens e depois os implantou através de diversas incisões na cabeça de um outro paciente. O médico cobriu a região com um curativo que só foi retirado quatro semanas depois, e embora grande parte do cabelo tenha saído junto, alguns poucos fios conseguiram criar raízes no couro cabeludo do paciente.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade