Programação noturna na Pampulha é uma boa opção de happy hour

Circuito de atrações no principal cartão-postal de BH ocorre toda terça-feira, até as 21h. Museus e eventos culturais ficam abertos à espera dos moradores

por Rafael Campos 20/07/2017 14:57

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Glenio Campregher/Divulgação
Museu de Arte da Pampulha: espaço é um dos que ficam abertos até as 21h às terças-feiras (foto: Glenio Campregher/Divulgação)
"Meu coração, não sei por que / bate feliz quando te vê." Os primeiros versos de Carinhoso, do compositor Pixinguinha, anunciam a abertura de mais uma seresta nos jardins da Casa Kubitschek. Já na Casa do Baile, o clima é outro. De cabelos compridos, o vocalista da banda de rock’n’roll solta a voz. Perto dali, a vibe - como dizem os jovens - é diferente. Sentadas à beira do famoso espelho d’água, as pessoas assistem o artista Rogério Fernandes pintar, ao som de músicas relaxantes. O Conjunto Moderno da Pampulha, Patrimônio Cultural da Humanidade, agora é assim. Na terça-feira, o pôr do sol é a largada para o Circuito Pampulha Noturno, que oferece uma série de eventos que têm os museus projetados por Oscar Niemeyer e os belos jardins de Burle Marx como cenário.

A fotógrafa Renata Vidigal não teve dúvidas em convidar a mãe, Vilma Maria Vidigal, para acompanhar a seresta na casa onde o ex-presidente JK - um amante confesso do gênero - morou. "Estou adorando isso aqui. O clima é bem aconchegante", diz Renata, emocionada com as canções do grupo Confraria Amigos de JK. Em seguida, foi a vez de o tradicional chorinho tomar conta do lugar, só que na parte de trás da residência.

Ronaldo Dolabella/Encontro
Os amigos Mariana Amorim, Fernanda Ruas e Gustavo Almeida: "É interessante aproveitar os diversos espaços tradicionais da cidade de uma maneira diferente", diz Fernanda (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
"É interessante aproveitar os diversos espaços tradicionais da cidade de uma maneira diferente", diz a publicitária Fernanda Ruas, ao lado dos amigos, o também publicitário Gustavo Almeida e a relações-públicas Mariana Amorim. Eles estavam no bar da Casa do Baile acompanhando o show da banda de rock The Killer Moons, nos jardins do espaço. De quebra, o trio de amigos pôde aproveitar para conhecer a exposição fotográfica sobre o brejo paraibano.

Ao mesmo tempo que o rock corria solto na Casa do Baile, colecionadores de carros antigos estacionavam seus possantes a poucos metros da praça Dalva Simão. São eventos variados e que agradam a gregos e troianos. A emblemática igreja São Francisco de Assis, a famosa igrejinha, fica aberta até as 21h para visitação, assim como o Salão Portinari do Iate Tênis Clube. Mas não é apenas a orla da lagoa que fica movimentada. O público tem a oportunidade ainda de passear pelo Museu Brasileiro do Futebol, que fica no estádio Mineirão. O ingresso custa 20 reais.

Ronaldo Dolabella/Encontro
Artista Rogério Fernandes no Live Painting: visitantes acompanham ao vivo a pintura, à beira do espelho d´água (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Um dos points mais interessantes do circuito é o Centro de Referência Turística Álvaro Hardy, conhecido como CAT-Veveco. Ele fica a poucos metros da Casa do Baile. O cenário foi pensado pelos idealizadores do Made in Beagá, Felipe Martins e Guilherme Pertence. A ideia é reunir produtos de artistas locais que valorizam aspectos arquitetônicos e culturais da capital mineira. No espaço, além de bicicletas com cervejas artesanais, hambúrgueres, pipoca e doces, os visitantes podem acompanhar o Live Paint, que é o processo de pintura ao vivo do artista Rogério Fernandes. E o charme todo é que a produção acontece toda terça à beira do famoso espelho d’água. "Temos de ocupar lugares pouco explorados na cidade", diz Guilherme.

O diretor do Conjunto Moderno da Pampulha, Gustavo Mendicino, explica que o objetivo do programa é mudar a relação dos moradores com a região. "Queremos promover a Pampulha como um circuito de espaços culturais, esportivos e de lazer que se complementam", diz. A decisão de realizar o evento às terças-feiras partiu da baixa oferta de opções culturais no início da semana em BH. Agora, a meta, segundo o diretor, é envolver bares, restaurantes e a hotelaria no circuito. "Nesses primeiros meses, já tivemos uma resposta muito positiva em relação ao projeto, ou seja, as pessoas estão querendo conviver mais com esse patrimônio."

Confira a programação no entorno da lagoa:

Museu de Arte da Pampulha
Shows e exposições

Museu Casa Kubitscheck
Serestas, roda de choro e exposições

Casa do Baile
Shows e exposições

Iate Tênis Clube
Visitas guiadas ao Salão Portinari

Praça Dalvão Salmão
Encontro de Food Trucks e encontro de Carros antigos

Cat Veveco
Exposição artística de produtos do Made in Beagá, espaço gastronômico e Live Paint com o artista Rogério Fernandes

Museu Brasileiro do Futebol/Mineirão
Visita guiada ao Museu e estádio
Ingresso: R$ 20

Igreja de São Francisco de Assis
Aberta à visitação

Passeio de Jardineira Pampulha Retrô
Ingresso: R$ 20

Últimas notícias

Comentários