Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Qual o segredo da vila na Itália que possui 30% da população acima dos 100 anos?

Pesquisadores descobriram que o segredo da longevidade desses italianos está numa erva muito comum


postado em 09/04/2016 09:06

Se você gostaria de ter uma vida centenária, talvez uma boa opção seja se mudar para a pequena vila de Acciaroli, localizada na província de Salerno, no sul da Itália. Com população estimada em mil habitantes, cerca de 300 já passaram dos 100 anos. O fato chamou a atenção de pesquisadores americanos e italianos, que não se contentam em dizer que é uma coincidência. Eles apostam em um conhecido tempero brasileiro como a chave desse mistério: o alecrim.

Os moradores da cidade costeira desfrutam de uma dieta mediterrânea, baseada em frutas, grãos, legumes e frutos do mar. Como consequência, os idosos do vilarejo apresentam baixos índices de doenças cardíacas e do Mal de Alzheimer, apesar das idades avançadas. A erva de alecrim é ingrediente fundamental no cardápio desses italianos.

Os pesquisadores, de San Diego, Califórnia, e Roma, ainda vão estudar a população de Acciaroli mais a fundo nos próximos seis meses, por meio de amostras de sangue, análises comportamentais e genéticas.

De acordo com os cientistas, o projeto não servirá apenas para desvendar os segredos locais, mas contribuirá para melhoria do atendimento clínico especializado no envelhecimento da população mundial.

Alecrim

No Brasil, o alecrim é muito utilizado para temperar aves e carnes brancas. Além de ser aromatizante, tem importante papel na digestão, de acordo com a nutricionista Márcia Betânia Braga, membro do Conselho Regional de Nutricionistas de Minas Gerais.

Ela também afirma que o ingrediente pode retardar o envelhecimento. "Seus benefícios para a saúde são comprovados cientificamente em diversos estudos, portanto, acredito no poder antioxidante e anti-inflamatório que possui", diz a especialista.

Os benefícios não param por aí. O alecrim, segundo a nutricionista, ainda estimula a circulação sanguínea e beneficia o funcionamento do cérebro.

Restrições

Conforme a especialista, o alecrim não deve ser consumido na gravidez, pois pode ser abortivo dependendo da quantidade consumida. Ele também não é recomendado para uso noturno, porque pode prejudicar o sono, e em caso de diarreia, já que auxilia na digestão.

Bônus! Assista, abaixo, à famosa canção popular Alecrim Dourado:

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade