Publicidade

Estado de Minas BEM-ESTAR

Açúcar ou adoçante, qual a melhor escolha?

Especialistas esclarecem essa suposta dicotomia que surge na hora de adoçar um alimento


postado em 29/09/2017 10:58

De tempos em tempos um ingrediente de nosso dia a dia se transforma em vilão ou mocinho da alimentação saudável. Porém, quando se trata de dar sabor doce para as coisas, uma dúvida é recorrente: o que é melhor, usar açúcar ou adoçante? Especialistas dizem que eles não devem ser comparados, apesar de servirem para a mesma coisa.

Como mostra a nutricionista Marcia Daskal, da Recomendo Assessoria, a sacarose, mais conhecida como "açúcar de mesa", é um carboidrato simples, composto por glicose e frutose, natural da cana-de-açúcar ou de outros vegetais (como a beterraba ou o coco), sendo responsável pelo fornecimento de energia. Já os adoçantes são substâncias diversas, não-calóricas, com maior poder de dulçor, produzidas a partir de fontes naturais ou artificiais. "De maneira geral, eles têm poder adoçante de 100 a 500 vezes maior do que o açúcar e, por isso, podem ser utilizados em menor quantidade. Possuem uma quantidade desprezível de calorias, enquanto o açúcar, como qualquer carboidrato, fornece quatro calorias por grama", esclarece a especialista.

Essas são razões para que o edulcorante (adoçante) seja considerado mais saudável por grande parte da população, pois não fornece calorias e adoça. Porém, isso não pode ser considerado como uma verdade absoluta. "Não há evidências científicas sobre a existência de características mais ou menos saudáveis de um ingrediente para o outro. Também é necessário enfatizar que os adoçantes são utilizados em preparações que podem ter calorias de outros ingredientes. Isto é, ele não traz calorias adicionais, mas não tira as calorias de um suco, um bolo, um pudim ou um chocolate, por exemplo", comenta a nutricionista.

Os edulcorantes são comumente utilizados na substituição da sacarose com o objetivo de reduzir o valor calórico dos alimentos e bebidas. No entanto, essa substituição não necessariamente garante uma redução de calorias, já que alguns produtos têm uma maior quantidade de gordura na formulação. Assim, algumas pessoas aumentam o consumo dos alimentos light e podem comer até mesmo mais calorias. No controle do peso, como lembra Marcia Daskal, ambos podem ser utilizados, pois o importante é a alimentação como um todo.

Os profissionais da saúde costumam indicar o uso de edulcorantes para os diabéticos, já que os adoçantes não requerem insulina para sua absorção. Isto não quer dizer que diabéticos não possam consumir açúcar, desde que com orientação e acompanhamento de nutricionista e médico, a critério do profissional de saúde.

Atividade física

A relação do uso do açúcar e do adoçante para quem pratica atividades físicas também gera muitas dúvidas. O ideal é ter em mente que a combinação entre dieta equilibrada e atividade física regular é sempre a melhor base para se viver de forma saudável e evitar doenças, recomenda o educador físico Marcio Atalla.

Para quem se exercita regularmente, o consumo de açúcar ou adoçante também depende de um amplo contexto. Para um atleta, o consumo de açúcar pode ser necessário, dependendo do tipo, duração e intensidade da atividade física. "A recomendação é ingerir um carboidrato simples no pré-treino, pois vai dar energia para fazer os exercícios propostos. Sendo assim, uma fruta ou um pão com geleia são boas opções. Para depois da atividade, recomenda-se ingerir um carboidrato e uma proteína, sendo que a última ajudará na construção dos músculos. Não há uma regra certa, mas é essencial se alimentar antes e depois do treino", diz o especialista.

Portanto, a ausência de açúcar ou o uso constante do adoçante não torna a alimentação mais saudável, pois o que importa é a forma e a quantidade com que o ingrediente é consumido e de que maneira isso se encaixa no estilo de vida de cada pessoa – que não é definido por um ou alguns ingredientes consumidos isoladamente. Saúde e bem-estar dependem de um extenso conjunto de fatores, imprescindivelmente acompanhados e orientados por especialistas, caso a caso.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade