Para quem faz musculação, comer o ovo inteiro é melhor do que só as claras

Estudo feito nos Estados Unidos descobriu que a gema é mais eficiente na construção do tecido muscular no pós-treino

por João Paulo Martins 12/01/2018 10:20

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
Segundo estudo americano, após a musculação, comer o ovo inteiro é mais eficaz na construção dos músculos do que apenas as claras (foto: Pixabay)
Após a prática de exercícios físicos, é normal que as pessoas consumam proteínas. Mas, você sabia que faz uma grande diferença optar pela ingestão do ovo inteiro ao invés de comer somente as claras, como é o costume de muitos adeptos das dietas fitness? Segundo um estudo feito na Universidade de Illinois, nos Estados Unidos, consumir 18 gr de proteína provenientes de um ovo inteiro é 40% melhor para a construção de tecido muscular do que ingerir apenas as claras.

A descoberta, que contou com o aopoio do Instituto Nacional de Agricultura e Alimentação (USDA, na sigla em inglês) dos EUA, foi publicado no períodico científico American Journal of Clinical Nutrition no final de dezembro do ano passado. "A prática comum de jogar fora as gemas com o intuito de maximizar a dieta proteica baseada no consumo de ovos é contraproducente", comenta Nicholas Burd, professor de Cinesiologia (ciência do movimento) na Universidade de Illinois e líder do estudo, em artigo publicado no site oficial da instituição de ensino americana.

As gemas também contêm proteínas, mas trazem outros nutrientes essenciais que não estão presentes nas claras dos ovos, segundo o pesquisador. Curiosamente, a gema é capaz de acelerar a capacidade dos músculos de sintetizar as proteínas. "O estudo sugere que a ingestão de proteínas dentro de sua matriz alimentar natural tende a ser mais benéfica para nossos músculos do que obter a proteína de fontes isoladas", afirma Burd.

A pesquisa americana contou com a participação de 10 rapazes que realizaram testes físicos de resistência e foram convidados a ingerir 18 gr de proteína. Metade do grupo ingeriu o ovo inteiro – 18 gr de proteína e 17 gr de gordura –, enquanto a outra parte consumiu apenas a clara, que tem as mesmas 18 gr de proteína, mas é livre de gordura. Vale lembrar que estudos anteriores diziam que a capacidade de induzir a formação do tecido muscular não estava relacionada à forma de ingestão da proteína, e que o benefício das claras era justamente a ausência de gordura.

O estudo da Universidade de Illinois descobriu que o grupo que ingeriu o ovo inteiro após os treinos de resistência tiveram 40% mais capacidade de construção de músculos do que os que comeram apenas a clara.

A conclusão dos pesquisadores é de que, apesar de terem as mesmas quantidades de proteína e aminoácidos, certos componentes da gema fazem com que, ao ingerir um ovo inteiro, nosso organismo ganhe mais eficiência para compor a massa muscular após uma atividade física intensa.

Últimas notícias

Comentários