Cachaça 51 é condenada pela justiça a recolher suas garrafas do mercado

A marca de aguardente foi processada por usar garrafa com símbolo em alto relevo

por Encontro Digital 20/02/2018 12:45

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Cachaça 51/Reprodução
(foto: Cachaça 51/Reprodução)
Com certeza você já ouviu falar na cachaça 51 (ou Caninha 51), produzida pela Companhia Müller de Bebidas, desde 1951, na cidade de Pirassununga, no interior de São Paulo. Mas, o que você não sabe é que essa bebida vem enfrentando uma batalha judicial há 29 anos. Duas pequenas fabricantes de aguardente reclamam na justiça que a 51 atrapalha o mercado por não usar garrafas padronizadas, e sim, timbradas com a logomarca da empresa. Com isso, os demais alambiques não podem reutilizar os vasilhames da Caninha 51.

É uma prática comum na indústria que as garrafas, como as de cerveja, tenham a mesma forma para facilitar o reuso.

Segundo o jornalista Lauro Jardim publicou em sua coluna no jornal O Globo, o Tribunal de Justiça do Estado de São Paulo acabou de aceitar os argumentos dos pequenos produtores e entendeu que houve abuso de poder econômico por parte da Companhia Müller.

Com isso, a sentença dos magistrados determina que a cachaça 51 pague uma multa de R$ 520 milhões e que faça o recolhimento de nada menos que 120 milhões de garrafas que estão em circulação – só esta medida dará um prejuízo de R$ 132 milhões à Müller.

Vale lembrar que, por ser uma decisão em primeira instância, ainda cabe recurso.

Últimas notícias

Comentários