Alho pode ser capaz de prevenir doenças graves, como câncer e diabetes tipo 2

Estudo feito na Inglaterra descobriu propriedades muito benéficas desse tempero

por Marcelo Fraga 30/04/2018 10:48

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.


Pixabay
(foto: Pixabay)
Extremamente saboroso quando utilizado como tempero, o alho (Allium sativum) é um dos ingredientes mais presentes na culinária mundial, especialmente no Brasil. Essa raiz não é apenas um componente essencial de muitas refeições, mas pode, também, ser um aliado poderoso da saúde humana, de acordo com um estudo recente feito na Inglaterra – os benefícios vão além do conhecido combate a resfriados e gripes.

Segundo matéria publicada no site do jornal britânico The Independent, pesquisadores da Universidade de Nottingham descobriram que o alho talvez possa reduzir o risco do surgimento de câncer, de doenças cardiovasculares e do diabetes tipo 2, a forma mais comum do problema metabólico que atinge milhões de pessoas. O estudo foi publicado no periódico científico Trends in Pharmacological Sciences.

Uma das conclusões dos cientistas ingleses é que o modo de preparo do tempero pode interferir nessa capacidade do alho de evitar problemas graves de saúde. No entanto, eles ainda não sabem dizer qual seria a melhor forma de consumir o alimento para garantir todos os seus benefícios.

O estudo descobriu que essa raiz produz uma variedade de substâncias à base de enxofre quando é processada (picada, fermentada no álcool ou prensada para extração de óleo, por exemplo).

Conforme os pesquisadores, esses compostos de enxofre podem regular "moléculas sinalizadoras gasosas", como o óxido nítrico e o sulfeto de hidrogênio, que são naturalmente produzidas pelo corpo humano. Estas substâncias estão presentes em concentrações anormais no organismo de pessoas que sofrem com doenças crônicas.

"Essa capacidade das plantas é uma vantagem quando se tem que crescer no ambiente selvagem. Os compostos se mostraram ativos em células mamárias e tecidos, mas não sabemos como serão metabolizados nos humanos", comenta o bioquímico Peter Rose, principal autor da pesquisa, em entrevista para o The Independent.

Enquanto a técnica ideal para preparar o alho ainda está sendo debatida, os cientistas concordam que ele é uma das espécies vegetais com mais propriedades restauradoras. "Há muita possibilidade dentro dessa área, para encontrar abordagens que possam reduzir o risco de doenças e melhorar a saúde humana. Mas, tudo tem a ver com questões fundamentais, como o que realmente acontece com esses compostos quando os metabolizamos", afirma o pesquisador inglês.

O próximo passo do estudo é entender as funções desses compostos de enxofre e em quais alimentos eles estão presentes.

Últimas notícias

Comentários