Consumo de cafeína durante a gravidez pode provocar excesso de peso nas crianças

Estudo feito na Noruega descobriu que quanto mais cafeína a mãe consome, maior o risco de sobrepeso no bebê

por João Paulo Martins 14/05/2018 15:47

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Pixabay
(foto: Pixabay)
Mulheres grávidas que ingerem muito café ou bebidas ricas em cafeína possuem mais probabilidade de ter filhos com excesso de peso do que as gestantes que fazem restrição desse tipo de substância, sugere um estudo norueguês. Os pesquisadores examinaram dados sobre a ingestão de cafeína em quase 51 mil mães, bem como o ganho de peso de seus bebês durante a infância. Em comparação com mulheres que consumiam menos de 50 mg de cafeína (menos de meia xícara de café) por dia, durante a gravidez, aquelas que tiveram ingestão média entre 50 e 199 mg diárias (até duas xícaras) eram 15% mais propensas a terem bebê com sobrepeso, segundo o estudo.

O ganho de peso na infância foi maior de acordo com o consumo de cafeína pelas gestantes. Com um consumo considerado "alto", entre 200 e 299 mg de cafeína por dia, na gravidez, os bebês tiveram 22% mais chances de excesso de peso. Já com uma ingestão "muito alta", de pelo menos 300 mg da substância diariamente, as crianças chegaram a ter 45% mais chance de sobrepeso na infância.

"A alta ingestão de cafeína pela mãe, durante a gravidez, foi relacionada à obesidade na infância. Os resultados suportam as recomendações atuais para limitar a ingestão de cafeína durante a gravidez para menos de 200 mg por dia", comenta a pesquisadora Eleni Papadopoulou, do Instituto Norueguês de Saúde Pública, principal autora do estudo, em entrevista para a agência alemã de notícias Reuters. A pesquisa foi publicada no periódico científico BMJ Open, em abril deste ano.

Como os cientistas descobriram que existe risco de a criança adquirir sobrepeso mesmo se as mães consumirem pequenas quantidades de cafeína, os autores alertam que as evidências sugerem que as mulheres grávidas devem evitar café e refrigerante de cola. "É importante que as grávidas saibam que a cafeína não vem apenas do café, mas que bebidas como refrigerantes e energéticos também podem contribuir com quantidades consideráveis %u200B%u200Bde cafeína", comenta Papadopoulou.

Além disso, a pesquisa não conseguiu chegar a um valor mínimo de cafeína, considerado seguro, que a gestante poderia consumir, por dia, para evitar o excesso de peso na criança, durante a infância.

Últimas notícias

Comentários