Publicidade

Estado de Minas CURIOSIDADE

Cientista americano diz que óvnis são 'máquinas do tempo'

Michael Masters acredita que estejamos sendo visitados por 'terrestres do futuro'


postado em 09/04/2019 10:21 / atualizado em 09/04/2019 10:24

(foto: Pixabay)
(foto: Pixabay)

Apesar de muita gente acreditar que os objetos voadores não identificados, os óvnis, são provenientes de outras partes do Universo, um professor da Universidade Montana Tech, dos Estados Unidos, acredita que essas naves, na verdade, são bem "terrestres".

"O fenômeno pode ser explicado como nossos próprios descendentes voltando no tempo para nos estudar em seu próprio passado evolutivo", comenta o antropólogo Michael P. Masters, em entrevista para a emissora americana KXLF.

Masters acaba de lançar o livro Identified Flying Objects (Objetos Voadores Identificados, em tradução livre), que tarta justamente dessa sua teoria. Com um doutorado em Antropologia na Universidade Estadual de Ohio (EUA), o escritor e pesquisador usa a Ciência para explicar por que as pessoas que relatam encontros com alienígenas sempre as descrevem da mesma maneira.

"Os extratemporais são onipresentes como sendo bípedes; andando eretos; cinco dedos em cada mão e pé; simetria bilateral; têm dois olhos; uma boca; e um nariz. Além disso, eles podem se comunicar conosco em nossos próprios idiomas", comenta o antropólogo ao canal americano.

Michael Masters entende que o estudo pode ser considerado "pseudociência", mas defende a pesquisa que serve de base em sua nova obra. "Eu garanto o livro. Fico feliz em falar sobre isso com qualquer pessoa. É escrito para meus colegas acadêmicos tanto quanto para qualquer um na comunidade ufológica", afirma o escritor à KXLF.

Normalmente, a esta altura, qualquer um, principalmente os céticos, fariam comentários irreverentes sobre "homenzinhos verdes" para mostrar que a teoria dele não pode ser levada a sério, mas o antropólogo lembra que o Departamento de Defesa dos Estados Unidos gastou US$ 22 milhões (cerca de R$ 85 milhões) investigando o fenômeno óvni. É por isso que Masters acredita que chegou a hora de os cientistas adotarem uma abordagem mais séria em relação ao estudo desse fenômeno.

"A esperança é que possamos começar um novo diálogo, superar alguns dos estigmas e não ter que defender isso como uma Ciência, ainda que seja muito científico também", diz o autor à emissora.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade