Até as crianças se encantam pelos spas

A opção é boa se envolver convívio com colegas e pais e se o programa se transformar em uma brincadeira

por Marina Dias 19/10/2016 16:36

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Gustavo Andrade/Encontro
Apesar da pouca idade, Maria Fernanda Campos, de 7 anos, já é uma expert na arte de se cuidar e sabe do que gosta: "Aprovei a máscara facial, o spa dos pés e o banho de banheira" (foto: Gustavo Andrade/Encontro)
Às nove horas da manhã de uma segunda-feira, Maria Fernanda Pereira Campos chegou ao spa e olhou de um lado para o outro, analisando as acomodações, a decoração, o ambiente. Expert na arte de se cuidar - já tomava banhos de banheira longos e com pétalas de rosas desde bem pequena, na casa da madrinha -, ela sabe muito bem quais são seus procedimentos preferidos e os que gostaria de experimentar. "Vou conhecer a máscara facial e o spa dos pés, além de tomar um banho de banheira, que eu adoro", afirmou, e foi colocar seu roupão.

A cena até que seria comum, não fosse o fato de essa garota tão decidida ter 7 anos de idade. A pequena está pensando em comemorar seu aniversário de 8 anos no spa (o tipo de festa está na moda entre as meninas dessa idade) e, por isso, resolveu conhecer as opções de serviços - aprovou tudo. A pequena sabe mesmo o que quer. Em sua última viagem, para o Rio de Janeiro, fez ofurô todos os dias no hotel. "Acho gostoso e faço para relaxar", diz.

A mãe, a empresária Viviane Pereira, aprova a vontade da filha, pois conta que ela fica mais tranquila e relaxada após os procedimentos e que hoje é preciso mesmo se cuidar e valorizar a vaidade feminina. Além disso, diz que gostaria de ter mais tempo para acompanhar a pequena em programas de relaxamento mais frequentes. "Isso sela o companheirismo, a cumplicidade entre mãe e filha", explica.

Cláudio Cunha/Encontro
A aniversariante Gabriela Castro (terceira da esq. para a dir.) e suas convidadas Júlia, Marina, Ana Clara e Mariana: comemoração digna de princesa no spa, com direito a roupões personalizados (foto: Cláudio Cunha/Encontro)
Maria Fernanda não é a única. Spas de BH têm investido no público infantojuvenil, que ainda não é tão grande, mas já está à procura de alguns mimos. Para atraí-los, os estabelecimentos oferecem serviços adaptados, como banhos com aromas e temas mais infantis, roupões e acessórios coloridos, além de procedimentos de intensidade mais baixa (massagens menos vigorosas e banhos com temperaturas menos quentes, por exemplo). "Pré-adolescentes e adolescentes vêm com maior frequência, mandados pelos próprios pais, especialmente quando estão em semana de provas", afirma a diretora da clínica Ben Vivere, Paula Tavares.

É o caso de Manuela Rodrigues, de 13 anos. Ela frequenta o spa Lótus há mais ou menos dois anos, por sugestão da mãe, que procurava uma forma de deixar a filha menos ansiosa na época das avaliações. Faz cromoterapia, auriculoacupuntura e massagens (o último serviço, com velas que têm cheiro de morango) - e adora. "Funciona demais. Saio super-relaxada e meus resultados na escola até melhoraram", afirma.

Crianças também têm demanda, especialmente para passar um dia com as amigas e para festas de aniversário. No Soul Zen Spa, por exemplo, os serviços para kids têm nomes como "tutti frutti" - massagem aromatizada -, "máscara de chocolate hidratante" e "pequena sereia" - massagem relaxante com conchas. No spa Mitra, onde Gabriela Castro, de 11 anos, fez a festa de aniversário, há opção de serviços de terapia e estética, tudo com direito a roupões personalizados, dependendo do pacote. Entre as atividades propostas na comemoração de Gabi e quatro convidadas estavam miniaula de ioga, massagens, banhos e horário no salão de beleza, tudo com chinelinhos e roupões coloridos e com os nomes de cada uma. "A Gabriela é extremamente vaidosa e delicada. Quando sugeri a ideia da festa no spa, achou perfeito", diz a mãe, a empresária Márcia Castro, que convidou também as mães das amiguinhas para passarem a tarde lá.

Gustavo Andrade/Encontro
Manuela Rodrigues, de 13 anos, vai ao spa há dois anos para diminuir a ansiedade em período de provas: "Saio super-relaxada e meus resultados na escola melhoraram" (foto: Gustavo Andrade/Encontro)
Como sempre é o caso quando crianças estão envolvidas, é tudo muito divertido se feito com bom senso. A pediatra Raquel Pitchon vê esses mimos como positivos caso a prática tiver como objetivo a aproximação e o cultivo de tempo de convivência entre pais e filhos. "Se for para mandar a criança para lá sem acompanhamento, não acho interessante, pois o tempo que pais e filhos passam juntos já é muito escasso", afirma. "É uma proposta interessante se visar à convivência familiar, e não à terceirização do cuidado da criança", completa.

Já em relação à saúde física dos pequenos, a dica da pediatra é procurar saber no spa se os produtos contêm fragrâncias, principais indutores de irritação na pele. "Temos desestimulado o uso de cosméticos na infância. Damos preferência a hidratantes e óleos sem adição de fragrâncias", alerta. Além disso, diz que não é recomendado o uso frequente de esmaltes. Retirar cutícula, afirma, não pode de jeito nenhum, pois expõe os pequenos a doenças infectocontagiosas, como hepatite B e HIV. "Com esses cuidados, a criança pode usufruir de momentos de bem-estar e convívio familiar, sem efeitos colaterais."

Últimas notícias

Comentários