Projeto prevê construção de via expressa ligando BH a Nova Lima

A obra pode frear a expansão de ocupações irregulares ao longo de antigo ramal ferroviário, além de desafogar o trânsito no Belvedere e no Vila da Serra. Prefeitos Alexandre Kalil e Vitor Penido se articulam para tirar plano do papel

por Rafael Campos 29/03/2017 14:21

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Ronaldo Dolabella/Encontro
O ramal ferroviário desativado Águas Claras e alguns dos barracos que começam a surgir ao longo da via (no detalhe): obra viária impediria permanência dos invasores e aparecimento de novas ocupações (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Nos últimos anos, parte do ramal ferroviário Águas Claras, já desativado, que margeia a rodovia BR-356, entre BH e Nova Lima, virou terra de ninguém. Ou melhor, de todo mundo. Ocupações irregulares começaram a tomar conta do terreno. Primeiro, surgiu um barraco, depois outro... Hoje, até um estacionamento clandestino funciona por ali. Mas um projeto viário pode frear e reverter esse processo de favelização. Trata-se da construção de uma via expressa (sem semáforos) que ligará o centro de Nova Lima à BR-356, na altura do Anel Rodoviário. O plano é ousado e está sendo apontado também como solução para o pesado trânsito da região. Prefeito de Nova Lima, eleito para o seu sexto mandato, Vitor Penido revela que há um entrosamento com Alexandre Kalil para que o plano saia do papel. "Antes mesmo da posse, já iniciei o diálogo com o prefeito de BH para construir a nova via", diz Penido.

Com 14 quilômetros de extensão, a via expressa possibilitaria o acesso e a saída do município vizinho sem ter de passar pela rodovia MG-030 ou pelo trevo do BH Shopping, na altura da BR-356 com a avenida Raja Gabaglia. O trevo, que recebe diariamente cerca de 17,5 mil veículos, segundo a BHTrans, sofreria uma redução drástica em seu fluxo. A MG-030 se transformaria em um corredor local. O estudo prevê ainda, ao longo do trecho, a criação de ciclovias e espaço de lazer para os moradores. Ou seja, ao dar um destino a uma área que hoje está abandonada, evita-se o risco de ocupações irregulares como a que avança atualmente na região.

André Rocha, secretário municipal de Planejamento e Gestão de Nova Lima, diz que o projeto, chamado de Via Estruturante Sul, é prioridade para a atual gestão. E um dos motivos diz respeito ao tráfego entre os dois municípios, que seria aliviado. "A projeção é de que 50 mil veículos, por dia, deixem de passar pela área do Vila da Serra e pela MG-030", afirma.

O plano não é novo. Foi apresentado em 2003, mas não avançou. Gilmar Dias, presidente da Associação dos Empreendedores dos Bairros Vila da Serra e Vale do Sereno, conhece bem o projeto. "Para ele sair, é preciso vontade política", diz o empresário, diretor da construtora EPO. A empresa, inclusive, foi a responsável pela alça viária construída no sentido BH, na rodovia BR-356 e que dá acesso à MG-030. A obra, finalizada em 2010, foi fruto de medida de compensação ambiental. Já a nova via, segundo ele, dependeria de recursos públicos. "Seriam necessários mais de 150 milhões de reais", afirma Gilmar, sobre estimativa que ainda carece de atualização.

A Prefeitura de Nova Lima não fala em valores, pois vai aguardar a conclusão dos estudos. Contudo, o secretário André Rocha adiantou que a verba teria de vir da iniciativa privada, associações de empreendedores e governos estadual e federal. O prefeito Vitor Penido planeja ir a Brasília para negociar a vinda de recursos.

Últimas notícias

Comentários