Projetos de arquitetura passam a considerar os animais de estimação

Cada vez mais presentes nos lares brasileiros, os pets são lembrados também na hora de construir ou reformar a casa

por Daniela Costa 25/04/2017 09:10

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Paulo Márcio/Encontro
A estudante de veterinária Mariana Baeta telou as janelas, instalou portas de contenção e adaptou um quarto da casa para seus gatos: "Eles ganharam várias prateleiras para se locomover e descansar, além de arranhadores para brincar" (foto: Paulo Márcio/Encontro)
Quem tem animal de estimação em casa sabe que um bom projeto de arquitetura e decoração deve pensar também em suas necessidades. Adequar ambientes compartilhados ou mesmo criar espaços específicos para os pets proporciona bem-estar tanto a eles quanto aos donos. O primeiro passo é entender a relação do tutor com o seu bicho. "As permissividades são o ponto principal, pois é aí que descobrimos onde o animal poderá circular e permanecer", explica a arquiteta Fabiana Gamallo, do escritório CoGa Arquitetura. A partir daí alguns cuidados extras precisam ser adotados. Optar por materiais mais resistentes e de fácil limpeza é um deles. Otimizar espaços com layouts adequados e enxutos resulta em mais conforto e liberdade. "Os pets precisam de áreas livres para brincar e de local próprio para se abrigar", diz.

Na hora de construir ou reformar a casa, é preciso investir, por exemplo, em áreas cobertas para colocar casinhas, gramados ou quintal onde possam tomar banho de sol e fazer suas necessidades, além de torneiras para banho ao ar livre. A fotógrafa Luciana Lenbi modificou o projeto da varanda do seu apartamento para que Mel, schnauzer de 10 anos, tivesse mais qualidade de vida. "Reformei a varanda aproveitando o local onde era o ofurô para plantar uma jabuticabeira e colocar grama. Dessa forma ela toma sol e faz xixi à vontade", diz. Pisos escorregadios como tacos e laminados devem ser evitados. Materiais porosos como mármore e pedras naturais acumulam sujeira e mancham com facilidade. Uma boa dica são os pisos em concreto pintado, pelo custo-benefício e facilidade de higienização. Para interiores, entre as melhores opões está a cerâmica, difícil de arranhar e fácil de limpar. Carpetes, nem pensar. Além de acumular pelos, necessitam de muita manutenção para retirada da sujeira e odores desagradáveis. No caso dos tapetes, os de sisal se mantêm limpos por mais tempo e custam pouco. E como não se preocupar com as paredes? Mantê-las limpas com animal por perto é quase impossível. Nesse caso, é bom investir em tintas de acabamento acetinado ou semibrilhantes, mais fáceis de limpar. E abuse das cores. Além de alegrar o ambiente, elas disfarçam a sujeira e não deixam manchas ou pelos tão evidentes quanto em espaços monocromáticos.

Ronaldo Dolabella/Encontro
A fotógrafa Luciana Lenbi modificou sua varanda para que a schnauzer Mel tivesse mais qualidade de vida: "Aproveitei o local onde estava o ofurô para plantar uma jabuticabeira e colocar grama. Dessa forma ela toma sol e faz xixi à vontade" (foto: Ronaldo Dolabella/Encontro)
Ter espaços de entrada e saída dos animais, como as dog doors, pode ser uma boa ideia, pois otimiza a circulação em locais da casa onde eles têm livre acesso, a exemplo da área de serviço, varandas e quintais. O local de alimentação do pet deve ter atenção especial. Em apartamentos, alguns projetos dedicam uma partição especial na ilha da cozinha. Lembrando que espaços compactos pedem soluções práticas. Aproveite prateleiras e vãos de escada para criar dormitórios. E fique atento aos objetos. Quanto mais espaço livre, melhor. Itens pequenos, cortantes ou que possam ser ingeridos indevidamente devem ficar fora do alcance da bicharada para evitar acidentes. A sugestão é deixar a decoração por conta dos quadros e pinturas. "É possível dar um toque especial no ambiente, mantendo o bom gosto. Fotos e brinquedos, por exemplo, podem ser organizados de forma lúdica e divertida", diz a designer de interiores Cátia Maiello, da Casatelier. Quanto ao material dos mobiliários, opte pelos laváveis, como de couro falso. Peças personalizadas e sob medida também se adequam aos pets, como mesas e criados-mudos com caminhas, estantes e vasos de plantas com esconderijos, sofá com túneis e armário com caixa de areia embutida para gatos.

E por falar em felinos, seus donos devem ter cuidado redobrado. O primeiro passo para recebê-los é colocar telas em todas as janelas para que não fujam ou caiam de andares altos. A estudante de veterinária Mariana Baeta também optou por instalar portas de contenção para que seus gatinhos não escapassem quando ela entrasse ou saísse de casa. "É uma forma de eles ficarem seguros", diz. Um dos quartos da residência também foi adaptado. O ambiente ganhou pintura e decoração personalizados. "Além do espaço adequado para colocar as caixinhas de areia e vasilhames de comida, eles ganharam várias prateleiras para se locomover e descansar, além de arranhadores para brincar." Como dá para ver na foto que abre esta reportagem, é uma festa.

Últimas notícias

Comentários