Publicidade

Estado de Minas VEíCULOS | NOVIDADE

Indústria automobilística espera crescimento em 2018

As montadoras começam o ano novo olhando no retrovisor um 2017 que empata com 2016 e otimistas, sem demonstrar euforia em relação ao futuro


postado em 15/01/2018 17:09

O Chevrolet Onix: líder em volume de emplacamentos em 2017, apesar do resultado ruim no teste de impacto(foto: Divulgação)
O Chevrolet Onix: líder em volume de emplacamentos em 2017, apesar do resultado ruim no teste de impacto (foto: Divulgação)
Uma esperança paira sobre 2018 para a indústria automobilística. A expectativa é de que, em ano de eleições e contando-se com a aprovação das reformas que prometem fortalecer a economia, as vendas de automóveis possam "respirar" com maior tranquilidade e voltem a crescer. Nos últimos meses de 2017 já se verificou um modesto saldo positivo.

O resultado do ano, a se manter a média dos 11 primeiros meses (pouco menos de 179 mil unidades), deverá finalmente ultrapassar a casa dos 2 milhões de automóveis e comerciais leves emplacados no país. Até o fechamento desta edição, não tínhamos os resultados oficiais de 2017. Seja ele qual for, ainda estaremos abaixo de 2015, quando 2,48 milhões de carros foram emplacados, segundo relatório da Fenabrave, a associação de concessionários autorizados.

O troféu de líder em volume de emplacamentos de 2017 permaneceu com o Chevrolet Onix, que liderou também em 2016. Está aí a prova inconteste de que o fator segurança ainda não é muito levado em conta pelo consumidor brasileiro. O fato de o Latin NCAP (programa de avaliação independente de carros novos para América Latina e Caribe) haver divulgado um resultado ruim nos testes de impacto lateral do modelo em nada afetou a venda do compacto Chevrolet.

O Jeep Compass: com boa relação custo-benefício, utilitário esportivo desbancou o Honda HRV do primeiro lugar em vendas no segmento(foto: Divulgação)
O Jeep Compass: com boa relação custo-benefício, utilitário esportivo desbancou o Honda HRV do primeiro lugar em vendas no segmento (foto: Divulgação)
O ranking de emplacamentos permaneceu inalterado até a terceira posição, com o Ford Ka (outro que levou bomba no Latin NCAP). Já a quarta posição foi tirada do Chevrolet Prisma pelo VW Gol, que no ano passado foi apresentado em sua nova geração e reconquistou consumidores. O Renault Sandero, também renovado em 2017, subiu de sétimo para o quinto lugar, que era do Toyota Corolla. No segmento dos automóveis, entre as relativamente poucas novidades que surgiram em 2017, merecem destaque o Fiat Argo e o Renaukt Kwid. O primeiro enfrentou e ainda enfrenta algumas dificuldades em alçar voo, por questões exclusivas de posicionamento de preço, e terminou o ano em 28º lugar. O segundo, mais recente, mostra uma curva de vendas crescente e encerrou 2017 em 32º lugar.

O segmento de SUVs, os utilitários esportivos, que arrebatou o desejo de consumo do mercado, foi o que mais novidades apresentou em 2017. Foram nove os lançamentos "totalmente novos". Se olharmos para os volumes de vendas, o mais bem-sucedido é o Jeep Compass, que tirou do Honda HRV a liderança no segmento. O segredo é a interessante relação custo-benefício que o SUV da FCA (Fiat Chrysler Automobile) oferece em relação aos concorrentes. Outro que termina o ano botando banca é o Hyundai Creta, que tomou do Ford Ecosport o terceiro lugar no ranking. Com a chegada dessas novidades, o Jeep Renegade caiu de segundo lugar em 2016 para quarto em 2017, mas promete reconquistar degraus com a maciça campanha e ofertas com preços promocionais que o fabricante colocou no ar nos dois últimos meses do ano.

O Argo, novo hatch da Fiat: um dos destaques de 2017(foto: Divulgação)
O Argo, novo hatch da Fiat: um dos destaques de 2017 (foto: Divulgação)
O Honda WR-V e o Renault Captur, oitavo e nono lugar no ranking de 2017, respectivamente, demonstram certa dificuldade em conquistar degraus mais altos. Já o Chevrolet Equinox, que chegou no fim do ano, tem qualidades de acabamento, conteúdo, motorização e preço para conquistar melhor colocação do que o 35º com que fechou o ano. É questão de tempo. O mesmo pode ser considerado para o Peugeot 3008, que, na atual geração lançada no segundo semestre de 2017, um projeto totalmente novo, se aproxima mais da categoria Premium.

O Nissan Kicks, que em 2016 e parte de 2017 era importado do México e a partir da metade do segundo semestre passou a ser produzido no Brasil, pulou do sétimo para o quinto lugar no ranking e dá indicações que tem fôlego para subir mais. Completam os nove novos membros do segmento SUV que chegaram ao mercado brasileiro em 2017 os sofisticados Jaguar FPace e o Mercedes-Benz GLC. São modelos tipicamente Premium, situados no quadrante superior da categoria, com elevado nível de tecnologia e acabamento e, por isso mesmo, entre os mais caros do mercado. A posição de 36º e 38º em que terminaram o ano, com vendas de aproximadamente 700 unidades, está dentro da expectativa das marcas que representam.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade