Conheça o hiit, treinamento que promete resultados rápidos

Belo-horizontinos com pouco tempo e bastante disposição encontram uma nova maneira de manter a forma

26/02/2018 14:28

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

RECOMENDAR PARA:

- AMIGO + AMIGOS

INFORMAÇÕES PESSOAIS:

CORREÇÃO:

Preencha todos os campos.
Violeta Andrada/Encontro
A bancária Liliane de Bernarde Cardoso e a enfermeira Lorena Vila Dantas, que praticam o Hiit na Bodytech Belvedere: "É uma aula dinâmica, que consome muita caloria, e atende ao meu objetivo inicial, que era emagrecer e ganhar condicionamento físico", diz Lorena (foto: Violeta Andrada/Encontro)
Para quem quer perder peso ou manter a boa forma, falta de tempo não é mais desculpa. Uma modalidade conhecida pela sigla em inglês Hiit (de High Intensity Interval Training - treinamento intervalado de alta intensidade) é o novo sucesso das academias de BH. Inicialmente utilizado como treino de atletas para melhorar o condicionamento físico, esse método eleva o nível de oxigênio no sangue (VO2) para resultar em maior queima calórica num espaço de tempo menor. Segundo os adeptos da novidade, três sessões de Hiit, com apenas 30 minutos cada uma, equivalem a cinco horas de musculação divididas em cinco dias diferentes.

O treinamento pode ser aplicado em qualquer sequência de exercício e geralmente é buscado por seus resultados positivos no emagrecimento. Foi o que chamou a atenção da bancária Liliane de Bernarde Cardoso, de 36 anos, e da enfermeira Lorena Vila Dantas, de 34, que praticam o Hiit Running na academia Bodytech Belvedere. A modalidade é realizada totalmente na esteira e foi implantada há seis meses. Está com horários lotados. Nos oito primeiros minutos, são aplicadas atividades de aquecimento. Depois, cada aluno começa a correr e aumenta a velocidade gradualmente até atingir seu limite. É a partir desse limite que o professor determina qual será a velocidade inicial de cada aluno na atividade dentro dos protocolos de Hiit, para que a frequência cardíaca não ultrapasse 90% do medido quando foi atingida a velocidade máxima. "É uma aula dinâmica, que consome muita caloria, e que atende ao meu objetivo inicial, que era emagrecer e ganhar condicionamento físico", diz Lorena. A cada aula, é aplicada uma sequência diferente de corrida e descanso. "Uma das grandes sacadas do Hiit é o gasto calórico pós-treino", explica o professor Marcos Parreira de Almeida. "O ritmo corporal do aluno permanece elevado por até 48 horas após o fim do exercício, e o corpo queima calorias durante todo esse tempo."

Violeta Andrada/Encontro
O professor Gabriel da Silva, da Companhia do Nado, com a estudante Thamyris Rodrigues Costa: "Meu condicionamento e minha disposição melhoraram", diz ela (foto: Violeta Andrada/Encontro)
Já a Companhia Athletica utiliza as bases do Hiit para compor seu próprio modelo, que é o Cia Funcional. São 30 segundos de estímulos para 10 segundos de intervalo. As repetições vão de 8 a 12 vezes, de acordo com a necessidade e condição de cada aluno. A aposentada Ângela Froes, de 69 anos, é uma das praticantes e garante que a idade não influencia em nada na execução de alta intensidade. "Adoro um desafio, e como sempre fiz exercícios essa é uma forma de desafiar meus limites" diz. Sob orientação do professor Gabriel Carneiro, ela executa, três vezes por semana, diferentes circuitos de exercícios, intercalados com outras atividades, como musculação, ginástica funcional, dança. Em breve, quer incluir natação na rotina.

A moda do Hiit tomou conta até da plataforma on-line, onde são facilmente encontradas videoaulas explicativas para exercícios em casa. Ponto negativo na opinião de Gabriel Carneiro. "Por mais simples que pareça, praticar exercícios não é tão fácil assim", diz. "Tem exigências e contraindicações que pela internet ou aplicativos não são possíveis de identificar." Para ele, quando uma pessoa inicia uma bateria de exercícios intensos sem acompanhamento, o risco de lesões ou crises cardiorrespiratórias "são enormes". Essa opinião é compartilhada por Gabriel da Silva, professor da Companhia do Nado. Ele diz que a tecnologia deve ser usada para ajudar as aulas, e não substituí-las. "O Hiit surgiu pela necessidade de um treino mais dinâmico e curto, por questões de tempo, e nada melhor do que poder fazer com uma playlist empolgante", afirma. Ele é o responsável pelo treinamento da estudante Thamyris Rodrigues Costa. Em dois meses, ela conta que já perdeu mais de 5 quilos. "Isso sem contar que o meu condicionamento melhorou, além da disposição." Thamyris garante também que as dores musculares diminuíram e até o sono está melhor e mais saudável. Afinal, não é porque o treinamento é rápido que ele não é eficiente.

Seis metodologias de tempo para praticar o Treinamento Intervalado de Alta Intensidade (Hiit) em qualquer modalidade:

1) Tabata - Permite o aumento da capacidade aeróbia e anaeróbia, podendo chegar a uma elevação de até 28%. São 8 séries com 20 segundos de estímulo e 10 segundos de intervalo

2) Timmons - Diferencia-se dos demais protocolos por causa de sua recuperação mais longa, principalmente para iniciantes da modalidade. São 3 séries com 20 segundos de estímulo e 2 minutos de intervalo

3) Trapp adaptado - Com estímulo e descanso médio, permite a melhora do condicionamento físico. São 20 séries com 24 segundos de estímulo e 46 segundos de intervalo

4) Gibala - É um método específico, pois nele há um descanso maior, bem como um tempo maior em alta intensidade. São 10 séries com 60 segundos de estímulo e 60 segundos de intervalo

5) Trapp - Com curtos espaços de estímulo e descanso, deve ser aplicado com muito mais intensidade para resultados mais evidentes. São 60 séries com 8 segundos de estímulo e 12 segundos de intervalo

6) Wisloff - Séries e intervalo de longa duração para que o tempo de alta oxigenação seja mais utilizado, visando à queima calórica ampliada. São 4 séries com 4 minutos de estímulo e 3 minutos de intervalo

Últimas notícias

Comentários