Publicidade

Estado de Minas

Mercado do Cruzeiro oferece lazer e variedade na hora das compras

O local quase deu lugar a outros empreendimentos, mas resiste há 44 anos


postado em 20/08/2018 13:35

O distrital possui propostas de revitalização que não devem tirar sua essência
O distrital possui propostas de revitalização que não devem tirar sua essência
Simples, simpático e amistoso, o Mercado Distrital é um ponto de encontro não só dos bairros Cruzeiro e Anchieta, mas de todo o entorno. É lá que consumidores como a dentista Aline Miranda fazem as suas compras da semana. Aline mora e trabalha no bairro Cruzeiro e sempre que pode dá uma arejada em seu dia circulando pelos corredores do Distrital. E se diverte pelas bancas se preparando para praticar seu hobby de cozinheira amadora. "Sempre encontro tudo de que preciso, alimentos frescos e um papo de boa qualidade", elogia a dentista, moradora há 39 anos da rua Jornalista Jair Silva. "Aqui os produtos são ótimos e o cliente é bem tratado."

O prédio, que completa 44 anos, passou por algumas transformações. Em tempos difíceis para o comércio, apareceram ideias para construir ali hotéis ou centros comerciais. Mas ao longo dos anos o espaço vem conseguindo preservar sua identidade. Seu hortifrúti colorido, com frutas, ovos, verduras e legumes frescos, é uma referência em qualidade. Os clientes também encontram ali outros itens de dar água na boca, como chantilly fresco, queijos especiais, manteigas trufadas, açafrão e temperos. Se quiser fazer um lanche ou mesmo uma refeição caprichada, boas opções são as carnes uruguaias, o pernil com pão de queijo e os bolinhos de bacalhau.

A estudante de arquitetura Lívia Mattar torce para que o mercado tenha cada vez mais produtos para o público vegetariano, como ela:
A estudante de arquitetura Lívia Mattar torce para que o mercado tenha cada vez mais produtos para o público vegetariano, como ela: "O que me chama a atenção é a qualidade das frutas e verduras"
As permissões de funcionamento do Mercado Distrital do Cruzeiro se renovam a cada cinco anos. Atualmente, são 53 permissionários. Onair Ambrósio da Fonseca, mais conhecido como Naná, chegou ao mercado logo na inauguração, em dezembro de 1974. Desde então está à frente do hortifrúti Seleção. "Formei minhas três filhas trabalhando aqui. Não é um negócio simples, exige dedicação exclusiva, sem folga, todos os dias da semana." Naná não atende só os clientes do bairro, com 12 funcionários, seu sistema de entregas abastece praticamente toda a região Sul da cidade.

Espaços tradicionais se unem a novidades. Há cinco anos Kuru Lima está à frente do espaço Distrital, onde funciona um coletivo gastronômico e cultural, formado atualmente pelo Reciclo, Café Belíssima e restaurante Verde Gaio. No espaço também ocorrem festas, eventos, shows musicais, lançamentos de livros, cursos como oficinas de percussão e de formação de sommeliers ministrados pela Academia Sommelier de Cerveja. Nos fins de semana, há feira de vinil, lançamento de livros e uma feira de artesanato. "Aqui é um ambiente de descompressão, um centro de compras, mas também lugar de convívio, relaxamento, de trocas e de contemplação", diz Kuru. Ele conta que a partir de agosto o Mercado passa a testar um novo horário de funcionamento. A quinta-feira foi o dia escolhido para inaugurar o projeto. "Nesses dias o mercado ficará aberto até às 21h, em vez de fechar 18h."

O uruguaio Francisco Tomás, do Parrilla del Mercado:
O uruguaio Francisco Tomás, do Parrilla del Mercado: "Há 22 anos, escolhi o Distrital por ser um lugar agradável e simpático"
O Mercado Distrital do Cruzeiro é também um local turístico. Há 22 anos, o Parrilla del Mercado, do uruguaio Francisco Tomás, atrai clientes de BH e de várias partes do mundo. A casa é conhecida por sua tradicional parrilla. Cortes como costela, picanha, T-bone, entrecôte, a costeleta de cordeiro são preparados ao modo uruguaio, sem labareda. Novidades também sempre entram no cardápio, como a truta com lâminas de amêndoas e molho de queijo, acompanhada de arroz com brócolis. Quando decidiu montar o Parrilla, Francisco pesquisou alguns locais, mas apostou na simpatia do mercado. "Na época, escolhi o Distrital por ser um local simples, agradável, simpático e folclórico." Outro ponto bastante tradicional é o Bar do Junior, onde Edelweiss de Morais Junior, o proprietário, bate ponto há 30 anos. Sua famosa carne assada faz sucesso durante o ano e é encomendada por centenas de clientes para a ceia de Natal. Já no Empório Royal e Adega do Mercado, o mix de produtos inclui alimentos e bebidas, nacionais e importados. A casa, aberta em 1974 como Laticínios Royal, é comandada atualmente por Cristovão de Morais Filho e pelos irmãos João Maurício de Morais e Flávio Maurício de Morais.

No início de agosto, a Prefeitura de Belo Horizonte abriu sua Proposta de Manifestação de Interesse (PME), quando é possível  apresentar novas ideias para o espaço. Alguns empresários se reuniram para criar um projeto de revitalização do Distrital, preservando suas características originais. Enquanto as ideias fervilham, consumidoras como a estudante de arquitetura Lívia Mattar aproveitam para conhecer um pouco mais o lugar. "O que me chama a atenção é a qualidade das frutas e verduras", observa Lívia. Ela também gosta de comprar produtos como a goiabada light e deseja que o mercado tenha cada vez mais produtos vegetarianos. E para o futuro do Distrital, o que ela espera? "Torço para que o mercado continue atraindo cada vez mais público para aproveitar esse potencial", diz Lívia. É o que todos esperam.

Os comentários não representam a opinião da revista e são de responsabilidade do autor. As mensagens estão sujeitas a moderação prévia antes da publicação

Publicidade